Vídeo feito em Rio Preto põe Bolsonaro em saia-justa

424
Fotos reprodução Diário Web

 

 

 

 

O editor de vídeo Venilton Matos , de Rio Preto, é autor do vídeo que Bolsonaro compartilhou no Twitter (e depois apagou) devido à péssima repercussão, sobretudo no Supremo

 

(Diário Web)

De Riad, na Arábia Saudita, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) admitiu na ultima terça-feira, 29, que foi um “erro” a publicação de vídeo em sua conta no Twitter em que se compara a um leão sendo atacado por hienas. Colagens com símbolos de instituições como o Supremo Tribunal Federal (STF), a Organização das Nações Unidas (ONU), a Confederação Nacional dos Bispos do Brasil, de partidos políticos e de veículos de comunicação foram sobrepostos sobre as cabeças dos animais que atacam o leão.

“Me desculpo publicamente ao STF, a quem porventura ficou ofendido. Foi uma injustiça, sim, corrigimos e vamos publicar uma matéria que leva para esse lado das desculpas. Erramos e haverá retratação”, disse Bolsonaro.

O vídeo que serviu de estopim para mais essa crise institucional provocada pelo próprio presidente, mesmo ele tendo apagado a postagem poucos depois de publicá-la, foi feito por um morador de Rio Preto. Bolsonarista roxo, que sobrepõe o slogan “Bolsonaro 2022” em foto de capa da página pessoal no Facebook, Venilton Matos, de 46 anos, postou o material no domingo, 27. “Nunca imaginei que ele [o presidente] fosse compartilhar. Tanto que nem coloquei meu nome [para identificá-lo como autor do vídeo]. Alguém foi no meu perfil e pegou”, afirmou Venilton nesta terça, 29, à Coluna.

Além do presidente, o vídeo foi compartilhado por um de seus filhos, o deputado federal por São Paulo Eduardo Bolsonaro. “Que orgulho, Eduardo Bolsonaro postou meu vídeo em sua página”, escreveu Venilton na segunda-feira, replicando a publicação de Eduardo, líder do PSL na Câmara. Detalhe: o símbolo do PSL é reproduzido sobre a cabeça de uma das hienas. Até o final da tarde da ultima terca-feira, Eduardo não havia apagado a publicação na página dele no Facebook.

Desde a publicação no Twitter, a repercussão para o presidente foi a pior possível. A reação mais contundente veio do ministro do STF Celso de Mello. Em resposta, o ministro afirmou, por exemplo, que o vídeo caracteriza “expressão odiosa [e profundamente lamentável] de quem desconhece o dogma da separação de poderes e, o que é mais grave, de quem teme um Poder Judiciário independente e consciente de que ninguém, nem mesmo o Presidente da República, está acima da autoridade da Constituição e das leis da República”.

Editor de pós-produção na sucursal de Rio Preto da TV Record, Venilton fez uma colagem em que Bolsonaro é representado por um leão encurralado pelas hienas. Em determinado momento, aparece outro leão, identificado por Venilton com a legenda “conservador patriota”, que ajuda o primeiro a afugentar as hienas.

 

“Vamos apoiar nosso presidente até o fim! E não atacá-lo! Já tem a oposição pra fazer isso”, escreveu Venilton na parte final do filmete de 1 minuto e 25 segundos. “É assim mesmo que vejo. O vídeo só retrata a verdade”, acrescentou Venilton à Coluna.