Sindicância deve apurar denúncias de ‘fura-fila’ na vacinação contra Covid-19

1631

Lista divulgada pela Prefeitura de Votuporanga/SP, após decisão da Justiça, apresenta ‘idosos’ com idades entre 21, 23 e 35 anos; além do caso envolvendo a ex-secretária de Cultura do município, que aparece imunizada juntamente com o marido, cunhado e da filha de apenas 18 anos.


Neste sábado (20), o procurador-geral do município de Votuporanga/SP, Glauton Feltrin, informou em entrevista à TV TEM que vai determinar a instauração de uma sindicância para apurar denúncias de “fura-fila” na vacinação contra a Covid-19. 

Suspeitas de supostas fraudes na imunização contra o coronavírus em Votuporanga vieram à tona após a liberação da lista de vacinados por meio do site da própria Prefeitura, que disponibilizou o conteúdo atendendo decisão do juiz da 4ª Vara Cível, Sérgio Martins Barbatto Júnior, que acatou um pedido liminar protocolado pelo advogado e ex-vereador Hery Kattwinkel. 

Contudo, na lista contendo nomes, idades, fabricante da vacina e grupos (Idoso ou Trabalhador de Saúde) apresentaram fatos estranhos ao contexto apresentado, como por exemplo os diversos casos de “pessoas idosas” com 21, 23, 35, 38, 42, e 52 anos. 

Um outro ponto considerado suspeito e que veio à público na lista, é o fato da ex-secretária de Cultura e Turismo de Votuporanga, Silvia Brandão Cuenca Stipp, de 55 anos, aparecer na lista de vacinados contra doença, assim como seu marido de 55 anos, a filha do casal de apenas 18 anos, e o cunhado de 60 anos. 

Ao falar com a emissora de TV, Feltrin afirmou que as inconsistências estão sendo verificadas pela Secretaria de Saúde de Votuporanga: “A gente ainda não sabe se é um simples erro de digitação. Pode haver pessoas dessa faixa etária que foram vacinadas por serem da linha de frente e podem ter sido incluídas de forma equivocada na lista como idosos. É prematuro dizer o que houve, mas isso pode ter acontecido”. 

Ainda na reportagem, o procurador-geral do município, explicou que cuidadores de idosos estavam sendo imunizados na época em que Silva e a família receberam a dose, mas não esclareceu se cuidadores de idosos eram os profissionais da área ou qualquer pessoa que convivia com idosos. 

“O processo vai apurar se de fato as pessoas faziam parte do grupo prioritário que estava sendo vacinado na época. Então, imaginamos que tenham se apresentado com essa condição”, salientou Feltrin. 

“Se os fatos realmente forem comprovados, por se tratar, inclusive, de uma situação de saúde pública, a comissão encaminha os expedientes para as autoridades. Se houver algum tipo de servidor, que tenha tido algum tipo de responsabilidade no fato, ele vai responder pelas penalidades previstas”, concluiu o procurador-geral. 

O outro lado 

Procurada pelo Diário de Votuporanga, a Prefeitura informou em nota oficial que: “A imunização contra a Covid-19, em Votuporanga, segue o cronograma e as regras estipuladas pela Secretaria Estadual da Saúde. No caso específico da vacinação de cuidadores de idosos, que começou em 8 de fevereiro, a primeira orientação técnica, emitida em 31 de janeiro, era de que as doses poderiam ser aplicadas em pessoas que cuidam de idosos, incluindo cuidadores domiciliares. Em uma segunda norma técnica, do dia 17 de fevereiro, a Secretaria passou a orientar que a aplicação ocorra somente em profissionais da área, de acordo com a Classificação Brasileira de Ocupações. Desta maneira, desde então, apenas aqueles que comprovem a atuação profissional estão sendo imunizados. Dúvidas sobre o calendário de vacinação e a Covid-19 podem ser solucionadas pelo telefone 0800-771-8070.”

Lista de imunizados em Votuporanga

Acesse o link e confira a lista de pessoas imunizadas contra a Covid-19 em Votuporanga: https://app.powerbi.com/view?r=eyJrIjoiMmQyODY1NzMtZGI1Ni00NWI3LTg1YTEtODIzOWQ2OGZjNGNkIiwidCI6IjlmNTc5MjdmLWU5NjMtNDYyZi05ODMwLWIzNzE0Y2M5ZmM5OCJ9&pageName=ReportSection