Escola de Kung Fu Punhos Unidos se apresentará pela cidade

863

 

Começa hoje, às 14h, na AFUPACE – Recanto da Tia Marlene uma sequência de diversas apresentações que a Escola de Kung Fu Punhos Unidos fará pela cidade com Quan Yin, a cabeça de Leão recém chegada à escola.

O termo ‘sifu’ no Kung Fu se refere ao mestre da escola, e teria tradução aproximada de ‘pai mestre qualificado’. Em Votuporanga o Sifu é André Castanheira, que explica o símbolo do evento: “a cabeça do leão é o símbolo maior de uma escola de kung fu, e sua dança simboliza sorte, felicidade, prosperidade e proteção. Antigamente na China, a escola que realizasse a Dança do Leão durante a passagem do ano, em determinado vilarejo, ficaria responsável por protege-lo durante todo o ano”.

Na apresentação serão apresentados katis, ou rotinas de treinamento, movimentos coreografados envolvendo dança e armas, ou com as mãos livres. O estilo da Punhos Unidos é o Hung Gar, tradicional na China, com cerca de 400 anos de existência. As próximas apresentações serão:

Dia 29/08 – A.P.A.E. – 14h

Dias 28/09 (apresentação) e 29/09 (aula de kung fu) – Centro de Cultura – 18h

Dia 04/10 – Lar Vicente de Paulo – 14h

Dia 11/10 – Ass. Irmã Elvira – 14h30

Entre 19/10 e 27/10 – no FLIV

Dia 21/11 – feira da São Benedito – 19h

Dia 26/11 – feira da Santa Luzia – 19h

 

Treino da unidade de Votuporanga da Punhos Unidos

 

A Escola Punhos Unidos

Fundada pela Mestre Renata Balestrini no ano de 2000, a escola Punhos Unidos tem hoje várias unidades no Paraná, em São Paulo e no Ceará, além de escolas no Japão e Nova Zelândia. Além de todo o passado glorioso: “no contexto histórico do estilo Hung Gar de kung fu, temos grandes Mestres que foram verdadeiros heróis na China, sendo exemplo de liderança e justiça e ensinando através das gerações valores morais como honra, honestidade e lealdade, por meio da disciplina do corpo e da mente, em treinamentos árduos”, explica André Castanheira.

O Kung Fu não é apenas uma luta, mas também exercício físico, dança e uma filosofia de vida. “A prática do kung fu oferece um caminho de encontro com sigo mesmo, no mais íntimo do seu ser, transcendendo à armadura do Ego, tornando-se energia que flui”, explica o sifu.

“Arte marcial e medicina chinesa estão intimamente ligadas, sendo comum à pratica do kung fu os exercícios respiratório e o desenvolvimento da consciência sobre a energia corporal, regida pelas emoções e associada aos principais órgãos internos”, conclui.

 

O Batizado de Quan Yin, no último dia 9

 

Quan Yin, a que observa os gritos do mundo

Quan Yin é o nome da bodhisattva (pessoa que atingiu a iluminação completa, análogo ao Buda) da misericórdia e da compaixão. Sua história se espalhou por toda Ásia tomando formas de deusas maternais e relacionadas a proteção. No Japão houve inclusive uma mudança de nome e sexo, mas o caráter misericordioso da deusa se manteve. O tempo em que ela teria vivido nem é discutido: se ela caminhou entre os humanos, foi em épocas imemoriais.

A cabeça de leão foi batizada com esse nome, Quan Yin, no último dia 9, de Votuporanga. No batismo, a cabeça de leão comeu uma alface. “A alface é símbolo de sorte e fartura, trazendo prosperidade e afugentando os maus espíritos no local que a recebe”, diz o Sifu André. A coreografia se repetirá nas apresentações seguintes.