Empresa de Votuporanga doa 17 mil metros de tnt para confecção de 83 mil máscaras

3295
Marcus Tognolli, presidente do Rotary E-Club de Motociclistas e Ricardo Hara da Hara Comercial de Votuporanga

Numa campanha encabeçada pelo Rotary E-Club de Motociclistas do Distrito 4521 – entidade presente em 11 estados da Federação -, a partir desta segunda-feira serão confeccionadas 83 mil máscaras faciais de TNT com gramatura 80 que irão para o HCUSP (Hospital das Clinicas da Universidade de São Paulo)

 

Material foi coletado na manhã deste sábado em Votuporanga

 

Quem garante é o neurocirurgião Humberto Barbosa que disse ainda ao Diário, que o maior doador financeiro foi de um Plano de Saúde, com R$55 mil, e o doador do TNT foi a Hara Comercial de Votuporanga, com 17mil metros de tnt. “Com o valor compramos 24 mil metros de elásticos”, disse e completou, “empresas de menor porte, além de duas confecções de grife, que estavam com sua produção parada, vão remunerar suas costureiras a R$0,50 por máscara, que assim garantem seus salários por mais um mês. Gaitee e Tulle Jour são as confecções responsáveis pela produção”.

“Diante da eminente catástrofe pandêmica, o Rotary E-Club de Motociclistas, ao qual estou associado, criamos o projeto de confecção de máscaras faciais para profissionais de saúde do HCUSP, que foi prontamente abraçado pelo Conselho Diretor da instituição, e, em associação com empresas de confecções de roupas de grife, que estavam paradas, e em tempo recorde de apenas 3 dias, conseguimos levantar materiais e recursos para produção imediata de aproximadamente 90 mil máscaras, cuja produção se inicia nesta segunda-feira. Trago aqui o testemunho de que para fazer basta ter, genuinamente, vontade e disposição para fazer. Somos fortes e se unidos somos invencíveis contra quaisquer inimigos. Podemos até perder algumas batalhas, mas sustentemos a chama que a vitória é certa!”

O médico disse que ainda precisam de mais retalhos de tecidos de algodão e TNT de qualquer gramatura, para ampliar a oferta, não apenas ao HCUSP, mas para outros que também necessitam, como os Policiais Militares. “Se eles pararem de trabalhar porque estão totalmente expostos, nossa estrutura social irá sofrer sérios abalos”.