DIG investiga se casal morto a tiros foi atacado por dívida de drogas ou motivos passionais

379

Fernanda Peres e Roberto da Silva foram encontrados com marcas de tiro, mas em dias diferentes. Homicídios foram registrados no bairro Pozzobon, zona norte de Votuporanga/SP.


A DIG (Delegacia de Investigações Gerais) trabalha com duas hipóteses para esclarecer o assassinato do casal atingido por disparos de arma de fogo no bairro Pozzobon, na zona norte de Votuporanga/SP. Os corpos de Fernanda Mara dos Reis Peres, de 42 anos e Roberto Valdemar da Silva, de 40 anos foram encontrados em uma mesma casa, mas em dias diferentes. Dois irmãos suspeitos de cometerem os homicídios foram presos temporariamente. 

De acordo Dovairdes Carmona, delegado responsável pela investigação, os crimes foram cometidos por dívidas de drogas ou motivos passionais. O caso continua sendo apurado. 

“Um dos irmãos namorava com a Fernanda, mas o homem foi preso. Em seguida, a Fernanda começou a se relacionar com o Roberto. Além disso, o Roberto possuía uma dívida de drogas com o outro irmão envolvido nos crimes”, contou Dovairdes. 

Depois de cumprir pena e sair da cadeia, o suspeito se encontrou com Fernanda e a avisou para sair da casa do namorado. A mulher ficou dias sem ir ao imóvel, mas voltou na noite do dia 31 de janeiro, horas antes de ser morta a tiros. 

“Pelas investigações, os dois irmãos foram em um carro, invadiram a casa, surpreenderam as vítimas, cometeram os crimes e foram embora com o mesmo veículo”, afirmou o Dovairdes. 

O corpo de Fernanda foi encontrado na madrugada do dia 1º de fevereiro, enquanto o de Roberto no dia 3 de fevereiro. Ambos foram enterrados em cemitérios da região. 

“Eles mataram a mulher na casa da mãe do namorado. O Roberto saiu correndo, foi atingido e morreu em uma casa vizinha, que fica ao lado e está em construção”, disse o delegado. 

Segundo Dovairdes Carmona, investigações apontaram a possibilidade de os irmãos serem os responsáveis pelos homicídios. Os mandados de prisão foram expedidos pela Justiça. 

No dia 9 de fevereiro, os suspeitos M.Y.W., conhecido como “Nagoia” e, H.Y.W., vulgo “Japa”, foram encontrados e presos na casa deles. Ambos foram levados à delegacia, onde prestaram depoimento ao delegado. 

“Eles negaram a participação. Os dois têm passagens pela polícia. Eles estão na cadeia de Santa Fé do Sul/SP. Vou terminar o inquérito. Posso pedir a prorrogação da prisão temporária ou a decretação da preventiva”, afirmou Dovairdes. 

*Com informações do g1