Cruzamento de acesso a Parisi onde cinco pessoas morreram em acidente é local de outras três mortes há seis meses

507
Família morreu após caminhão atingir caminhonete em rodovia — Foto: Arquivo Pessoal

Dois acidentes, totalizando oito mortes na Rodovia Péricles Bellini (SP-461), aconteceram no trevo de acesso a Parisi (SP). DER informou que há um projeto para recuperação da pista, pavimentação dos acostamentos e melhorias da rodovia.

O cruzamento em nível onde cinco pessoas morreram e 33 ficaram feridas após um ônibus bater em uma motocicleta também é o local do acidente que matou um casal e o filho de 7 anos.

As duas colisões aconteceram em um período de seis meses, na Rodovia Péricles Bellini (SP-461), no trevo de acesso ao município de Parisi (SP).

O Departamento de Estradas de Rodagem (DER) informou que há um projeto executivo concluído para recuperação da pista, pavimentação dos acostamentos e melhorias da rodovia. O DER também informou que a SP-461 está devidamente sinalizada, com placas que indicam o limite de velocidade aos condutores.

A primeira batida aconteceu no dia 2 de junho. O motorista Luciano Rosa tentou cruzar a pista e teve o veículo atingido por uma carreta que transportava linhaça.

Segundo a Polícia Rodoviária Estadual (PRE), Luciano morreu no local da batida. A mulher Thais Esparva Gaviolli e o filho Luciano Esparva Gaviolli chegaram a ser socorridos, mas não resistiram aos ferimentos.

O motorista da carreta não se machucou. Os corpos das vítimas foram enterrados no cemitério municipal de Votuporanga (SP).

O segundo acidente foi registrado na madrugada do dia 1º de dezembro. Uma motociclista também tentou cruzar a rodovia e teve o veículo atingido por um ônibus.

Com o impacto da batida, o motorista do ônibus perdeu o controle da direção e o veículo caiu de uma altura de seis metros dentro do Córrego Marinheirinho.

Ainda de acordo com a polícia, a motociclista Edianes Carolina Vitório dos Santos, de 20 anos, e a garupa Rúbia Queiroz de Souza, de 17 anos, não resistiram aos ferimentos.

O motorista do ônibus, João Cosmo dos Santos, de 61 anos, e as passageiras Alexandra Mendes Barbalho de Oliveira, de 39 anos, e Maria Néria Ferreira dos Santos, de 29 anos, também morreram no local.

Das 33 pessoas que ficaram feridas, 19 tiveram ferimentos graves e 14 sofreram apenas machucados superficiais. Todas foram socorridas e levadas para hospitais da região.

A Santa Casa de Votuporanga informou que 15 vítimas do acidente deram entrada no hospital. Nove delas já receberam alta e quatro continuam internadas em estado estável.

Duas pessoas precisaram ser transferidas em estado grave para o Hospital de Base, em São José do Rio Preto (SP).

O corpo da motociclista Edianes Carolina Vitório dos Santos, de 20 anos, e o da garupa Rubia Queiroz de Souza, de 17 anos, foram enterrados em cemitérios de Votuporanga na última segunda-feira (2).

O corpo do motorista do ônibus João Cosmo dos Santos, de 61 anos, e das passageiras Alexandra Mendes Barbalho de Oliveira, de 39 anos, e Maria Néria Ferreira dos Santos, de 29 anos, foram enterrados no cemitério municipal de Riolândia (SP) na noite do último domingo. (G1)