Cidades turísticas de SP estão barrando a entrada de viajantes

573
  • REFLEXOS DO CORONAVÍRUS –

Acostumadas a receber turistas durante os feriados prolongados, cidades turísticas do Estado de São Paulo fazem barreiras sanitárias para barrar visitantes de fora durante a pandemia do coronavírus.

Acostumadas a receber turistas durante os feriados e fins de semana, cidades turísticas do Estado de São Paulo inverteram o convite de recepção e agora estão barrando a entrada de viajantes nas cidades. Bloqueios e barreiras sanitárias foram montados nas entradas e questionários estão sendo aplicados para quem chega às cidades. Se não comprovar domicílio fixo ou não explicar o motivo essencial da visita, o visitante é “convidado” a voltar para casa. O motivo é o medo de disseminação do coronavírus pelas estâncias turísticas do Estado.

Na região, Santa Fé do Sul, Cardoso e Guaraci estão com barreiras sanitárias neste feriado prolongado de Tiradentes – terça-feira, 21 – contra a visita de turistas. Quem chega às três cidades do Noroeste paulista precisa responder um questionário com perguntas como para onde vai, se tem residência fixa na cidade e também precisa aferir a temperatura corporal.

Segundo a secretária da Saúde de Santa Fé do Sul, Rosana Vassoler Theodoro de Oliveira, as barreiras sanitárias foram iniciadas em 23 de março. A cidade é conhecida pelas prainhas banhadas pelo rio Paraná, que atraem turistas da Capital e do Mato Grosso do Sul. “Abordamos todos os carros que têm placa de fora da cidade. Pedimos encarecidamente para as pessoas ficarem em casa, até porque todos os parques turísticos da cidade estão fechados”, declarou.

Em Cardoso, acostumada a receber pescadores às margens do rio Grande, barreiras sanitárias foram implantadas nas três entradas do município de 12 mil habitantes. “Desde sexta-feira estamos com barreiras de 24 horas. A questão maior são os pescadores. No feriado de Páscoa, quando iniciamos as barreiras, 50 veículos foram barrados e tiveram que voltar para casa”, pontou o diretor de comunicação, Eduardo Andrade.

Orientação

Algumas cidades não fizeram barreiras sanitárias e apostaram em campanhas orientativas. Em Sales e Pereira Barreto, por exemplo, nenhum decreto proíbe turistas de entrar, mas as prefeituras orientam que os moradores evitem visitar a cidade no feriado. Já em Olímpia, conhecida pelos seus parques aquáticos – que estão fechados desde 19 de março – um bloqueio preventivo foi feito entre sexta, 17, e sábado, 18.

“Todos os veículos com placas de outros municípios são abordados e deverão responder um questionário com perguntas como qual o motivo da vinda; se apresentam algum sintoma de gripe; ou ainda onde ficarão hospedados, já que os meios de hospedagens estão fechados”, disse o comandante da Guarda Municipal de Olímpia, Edson Rodrigues de Oliveira.

Litoral

Cidades do litoral paulista também fizeram barreiras sanitárias para barrar turistas que queiram ficar na cidade durante a quarentena ou fazer passeios. Em Santos, estão autorizados a prosseguir apenas os motoristas que têm veículos com placa de Santos e dos municípios da Baixada Santista. Os outros são abordados e direcionados a pegar a rodovia para o retorno às suas cidades. O acesso é livre para os veículos cujos ocupantes comprovem vínculo de trabalho ou residencial na cidade.

Segundo a prefeitura de Santos, moradores que possuem casas na cidade e desejam passar a quarentena no município, podem ter o acesso liberado a partir de documentos que comprovem a propriedade do imóvel. Quem não tem precisa voltar para casa. As prefeituras aconselham os moradores a ficarem em suas cidades de origem e que evitem passar a quarentena em cidades turísticas.

Além de Santos, Guarujá, Praia Grande e Campos do Jordão também estão com barreiras sanitárias impedindo que turistas entrem na cidade. “Simultaneamente é realizado trabalho de conscientização de que o isolamento social deve ser feito no local onde a pessoa reside. Esta medida facilita o controle da propagação da pandemia. Não há nenhuma proibição e é respeitado o direito de ir e vir, porém é solicitado o retorno para cidade de origem onde as pessoas possuem residência fixa”, disse em nota a prefeitura de Praia Grande.

Em Campos do Jordão, com parques e hotéis fechados, as excursões também foram canceladas. “A proibição de ônibus e vans também continua”, informou em nota a prefeitura. Já em Ubatuba, no litoral Norte Paulista, não estão sendo realizadas barreiras sanitárias, mas a prefeitura orienta que as pessoas não visitem a cidade.

Em Caraguatatuba, a prefeitura não conta com bloqueios de entrada na cidade, pois as duas ações promovidas pela administração – na rodovia dos Tamoios – foram derrubadas pelo Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo. Apesar disso, os acessos às praias da cidade estão restritos e a Defesa Civil e o Grupamento de Bombeiros Marítimos (GBMar) de Caraguatatuba têm passado nas orlas das praias com carros de som solicitando que banhistas deixam a praia. Bloqueios estão sendo feitos nas entradas de Campos do Jordão (SP)

 

Somente moradores da baixada santista podem entrar em Santos

 

Veja a situação dos bloqueios em cada cidade

Campos do Jordão (SP)

Desde sexta-feira, 17, a Prefeitura de Campos do Jordão está realizando barreiras sanitárias da cidade. A medida, segundo a Prefeitura, visa evitar a entrada de pessoas com sintomas da doença. Restaurantes, parques, hotéis e pousadas continuam fechados em Campos do Jordão (SP). Caso o motorista ou passageiro apresente febre, ou outro sinal do doença, como falta de ar, é encaminhado para o Hospital Municipal, para triagem.

Santos (SP)

Em Santos, desde o início da ação, em 23 de março, foram abordados mais de 5.311 veículos. A ação é feita com o posicionamento de cones para estreitamento da pista. Motoristas autorizados a prosseguir são os que têm veículos com placa de Santos e dos municípios da Baixada Santista. Os outros são abordados e direcionados a ir embora. Após a verificação pelos guardas, os veículos com turistas são obrigados a retornar, escoltados pelos agentes de trânsito. O acesso é livre para os veículos cujos ocupantes comprovem vínculo de trabalho ou residencial na Cidade, preservando as excepcionalidades como profissionais de serviços essenciais, veículos de abastecimento, Porto e Polo Petroquímico.

Caraguatatuba (SP)

Não conta com bloqueios de entrada na cidade, pois as duas ações promovidas pela administração foram derrubadas pelo Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo. Importante destacar que a Rodovia dos Tamoios (SP-99) é a principal ligação do Vale do Paraíba – interior paulista ao Litoral Norte. Em relação aos veranistas, a orientação da prefeitura é que, neste momento, não vão para a cidade. Desde o feriado da Páscoa a Prefeitura tem feito uma ação junto ao último pedágio da Tamoios orientando as pessoas que descem para o litoral em relação à Covid-19. Na cidade, a Defesa Civil e Grupamento de Bombeiros Marítimos (GBMar) têm passado nas orlas com carros de som solicitando que banhistas deixam a praia.

Praia Grande (SP)

A prefeitura está realizando diariamente, desde março, abordagens nos acessos da cidade e realizando a distribuição de folhetos sobre a prevenção do coronavírus. Quem entra passa por um questionário, por exemplo, do destino, se há idosos entre os passageiros e o estado de saúde de cada um, entre outros detalhes.

Guarujá (SP)

Na cidade, são sete bloqueios que funcionam 24 horas e estão montados tanto na entrada da Cidade, quanto nas saídas das travessias de balsas de Santos e Bertioga.  Desde que foram montadas, em 27 de março, até a última quinta-feira, 16, 8.199 veículos foram barrados e tiveram que voltar para a cidade de origem.

O acesso é livre para os veículos cujos ocupantes comprovem residência no Município. Para isso é necessário apresentar um comprovante de residência em seu nome. Caso a pessoa more com os pais, deve mostrar um documento que comprove filiação. Também têm passagem liberada os veículos em comprovado exercício de atividades essenciais como segurança pública, saúde e assistência social, além

daqueles que estiverem transportando alimentos, combustíveis e outros insumos indispensáveis para o abastecimento local. Para os que trabalham na cidade é necessário apresentar documento que comprove vínculo empregatício, tais como: holerite, crachá da empresa e outros.

Ubatuba (SP)

Não estão sendo realizadas barreiras sanitárias, mas a prefeitura orienta que as pessoas não visitem a cidade.

Na região

Olímpia (SP)

A Guarda Civil Municipal realizou na sexta-feira e sábado, 17 e 18 de abril, um bloqueio preventivo nas entradas da Estância Turística de Olímpia. O objetivo foi orientar e acompanhar o movimento das vicinais, principalmente por conta do feriado prolongado. Na ação, realizada nos dias 09 e 10 de abril, durante o feriado de páscoa foram abordados 83 veículos, sendo que todos eles estavam de passagem pela cidade para visitar parentes.

Santa Fé do Sul (SP)

Na cidade, a Guarda Municipal e a Secretaria de Saúde montaram barreiras nas principais entradas da cidade fazendo o controle de entrada de pessoas durante o feriado prolongado. O objetivo, segundo a Prefeitura, é orientar as pessoas para que permaneçam em casa e não circulem na cidade desnecessariamente para conter a proliferação da Covid-19.

Guaraci (SP)

Possui barreira sanitária nas entradas da cidade. Quem tem casa no município tem acesso normal na cidade. Na barreira, a equipe pergunta o endereço do condutor enquanto uma equipe checa se o endereço repassado é válido. A medida visa evitar turistas durante a quarentena na cidade.

Cardoso (SP)

Na cidade, três barreiras sanitárias foram montadas – duas na rodovia Pericles Bellini (SP-461) e um na rodovia vicinal de acesso ao distrito de São João do Marinheiro (SP). A medida, segundo a Prefeitura, é para evitar a aglomeração de pescadores e turistas de ranchos de veraneio. Na cidade, quem não comprovar residência ou motivo justificado é impedido de passar pelas barreiras.  (Rone Carvalho – Diário Web)