BOI COROTE – Artesão local faz sucesso com boi que mija pinga

1152
Divino Segala com uma de suas criações

BOI COROTE

Divino Segala com uma de suas criações ”

 

 

 

2103

LEG: A riqueza dos detalhes de cada peça chama a atenção para um trabalho que é reconhecido no Brasil e até no exterior

 

Andrea Anciaes

A pandemia mudou a situação econômica de muitas famílias e infelizmente com isso surgiram inúmeras dificuldades, não foi o caso do senhor Divino Segala um conhecido artesão aqui do município de Votuporanga.

A rede social tornou-se uma aliada e aplicativos de venda on-line garantiram a comida na mesa de muitos desses profissionais.

A história de vida do senhor Didi começou no ano de 2002 e de lá para cá através do seu trabalho ele tornou-se conhecido pelo Brasil afora. “Fui visitar um irmão em Presidente Prudente e observei que de maneira muito rústica e primitiva ele fazia artesanalmente um boi que armazenava cachaça”.

Ele conta que esse boi era feito de barro e sem muitos detalhes que chamasse de fato à atenção de compradores potenciais. “Depois resolvi ir embora para São Bernardo do Campo na capital e comecei a fazer “cavalinhos pingômetros” que eram de barro e cimento e vendidos para uma Hípica da cidade.”

A raça do boi vai com o gosto do freguês, existem todas

“Passado um tempo acabei retornando para Votuporanga já no ano de 2004 e comecei a fazer de forma muito mais aperfeiçoada o ‘boi corote’”, conta.

Com uma forma especial ele fazia o “boi corote” com barro e cimento, já diferente do material usado pelo irmão, com o tempo esse material foi totalmente reformulado.

No início ele conta que enfrentou muitas dificuldades e que todo dinheiro que tinha resolveu empregar na ideia do “boi corote” e no seu talento de artesão. “Como todo começo tudo foi muito difícil, porque eu tinha a ideia mas não sabia exatamente qual material seria o mais apropriado para garantir a qualidade do meu trabalho”

Aos poucos e depois de várias tentativas ele chegou à fórmula que precisava para a confecção de seus “bois corotes”, contou que usa em seus trabalhos gesso e mais um material que é o segredo de todo sucesso, esse “segredo” ele não revela de maneira nenhuma!

Um homem de origem simples e muito humilde, mas muito inteligente e minucioso trabalha em cada peça com muito carinho, amor e dedicação, tudo em uma oficina que ele montou no fundo da casa onde mora.

O senhor Didi como é conhecido carinhosamente por todos, contou com muito orgulho que o sucesso veio quando foi procurado pela produção do programa do Ratinho do SBT, depois disso muitos famosos passaram à procura-lo para adquirir o “boi corote”. Os cantores sertanejos Leonardo e Eduardo Costa, depois a apresentadora Eliana. Hoje Silvio Santos é um dos muitos famosos que quer de qualquer jeito o “boi corote” do senhor Didi.

Desde então ele vive do artesanato que produz, fornece muito aqui por toda a região, além de muitos estados do Brasil e até no exterior como Londres, EUA e outros. Atualmente, as vendas seguem com um ritmo muito bom. “Eu me considero um herói. Tem que ser muito forte para enfrentar um momento difícil como esse no país e no mundo”, conta ele.

Seu Didi faz questão de dizer que através do artesanato se realizou profissional e emocionalmente. “Tenho muitas encomendas, isso mostra que estão gostando do meu trabalho”, ressalta.

Essa atividade artesanal, geralmente, desenvolvida por mãos habilidosas e tradicionais como às do senhor Didi tem na sua experiência um ritual único e sensorial, que desperta sem sombra de dúvida muito encantamento. “O artesanato ainda é a forma de contar a história e representar a cultura de um povo” finaliza.

SERVIÇO:

Contatos de venda do “boi corote”:

Dom Taparo (Alambique) -997826001

Marcos (São José do Rio Preto) – 981540404