1 ano de COVID-19: Santa Casa homenageia profissionais

92

Segundo o levantamento da Instituição – com dados de março de 2020 até dia 24 de março deste ano, foram 13.478 atendimentos.


2020. O ano que não esqueceremos! A COVID-19 chegou, para nos desafiar, especialmente para nós, da área da saúde. Aprendemos a ressignificar. Chegamos ao nosso limite e encontramos força na empatia e solidariedade.

Mudamos nossas rotinas, vestimentas. Armaduras para a guerra. Criamos leitos de isolamento em tempo recorde. São jornadas infindáveis. Em março do ano passado, a Santa Casa não possuía nenhum leito de isolamento e, em menos de um mês, criamos 10 leitos de UTI COVID-19 e 14 de enfermaria. Hoje, são 28 leitos para pacientes graves e 37 nas alas.

Em todo este tempo, verdadeiros heróis salvaram vidas. Cada um em seu setor e ciente de sua responsabilidade. Cada profissional se dedicando e colocando sua vida em risco pela saúde de alguém. Por amor ao trabalho. Pelo respeito. Pela certeza de que a causa vale à pena. E porque heróis são assim mesmo. Vivem por um propósito.

Neste um ano, a Santa Casa presta homenagem a cada um, que mantém-se firme na missão de salvar vidas. Que não esmorecem, mas que permanecem em pé e dispostos a cumprir seu chamado. E que foram responsáveis pela recuperação de milhares de pacientes.

Leandro Binotti dos Santos, de 33 anos, foi um dos primeiros assistidos. Ele foi encaminhado para UTI no dia 27 de março, permanecendo até o dia 14 de abril. No dia 16, veio a alta. “A falta de ar começou a aumentar. Eu só tenho a agradecer a esses profissionais porque eles foram anjos que Deus mandou para cuidar de mim. Tratamento com muito profissionalismo e o amor pela profissão”, afirmou.

Regis Manzini, de 49 anos, ficou internado em outubro do ano passado. “Parecia que tinham desligado minha energia. Não tinha ânimo para nada, é muito triste. De 20% do pulmão tomado, foi para 40% até chegar no 60%”, disse. Ele falou da relação com os profissionais. “Tratam a gente como se fosse da família”, complementou.

Fábio Junior Camargo, de 46 anos, também foi um dos assistidos.  No dia de Natal, Fabio foi até a Santa Casa para atendimento. “Meus sintomas foram de resfriado. Não passavam e, em três dias, tive falta de ar”, contou.

Durante sua internação, ele ficou três dias na UTI. “Vocês fizeram a parte de vocês, cuidaram de mim. Deixo aqui o meu agradecimento, que Deus continue dando força, sabedoria, paciência, entendimento, compreensão. Juntos vamos sair dessa!”, complementou.

Marcos Baldin, de 56 anos, também foi paciente do Hospital. Ele sentiu falta de ar, dor de cabeça e de garganta. “Foram oito dias intubados e 13 dias na enfermaria. Cheguei e já foi encaminhado diretamente para a Unidade de Terapia Intensiva, com pulmão condenado a 80%. Para minha família, foi muito triste”, afirmou.

Ele agradeceu a todos os profissionais. “Só tenho que agradecer, desde a recepção, médicos, enfermagem. Todos, sem exceção”, disse.

Juliana de Souza, de 38 anos, também falou do seu atendimento. “Eu queria dar meu abraço a cada um de vocês, eu contei com um a equipe incrível de profissionais que trataram a mim e a minha família, com muita paciência e dedicação. Só posso agradecer imensamente de coração por tudo que fizeram”, destacou.

No mês passado, Lisandra Aparecida Topasso, de 45 anos, teve diagnóstico de COVID-19. “Eu estava com coriza, dor no peito e tosse. Foram 13 dias na UTI intubada. E, em todo tempo, sempre tinha alguém do meu lado falando para não desistir, me dando força. Foram muito prestativos. Eu sou muito grata por todos, por cada um que cuidou de mim e da minha família”, falou.

Aumento de casos

Segundo o levantamento da Instituição – com dados de março de 2020 até dia 24 de março deste ano, foram 13.478 atendimentos de COVID-19, sendo 11.518 no Pronto Socorro de Isolamento, 1.492 em enfermaria e 468 em UTI.  Neste período, infelizmente, foram registrados 309 óbitos.

No começo da pandemia, em março de 2020, a média de paciente com COVID-19 era de sete internados por mês. Só nesta semana, a média foi para 62 assistidos com diagnóstico da doença no Hospital.

O provedor da Santa Casa, Luiz Fernando Góes Liévana, ressaltou o empenho de toda equipe. “Há um ano, nossos profissionais protagonizam uma luta diária e responsável pela vida de centenas de pessoas e familiares. Queremos agradecer pelo empenho e pela coragem dos que atuaram no combate à pandemia. Sabemos que não está fácil, mas eles mantêm o profissionalismo e a excelência”, disse.

Reforçamos o pedido de que toda a população continue tomando medidas para se precaver contra a doença e nos ajudando a salvar vidas!