Tite diz que não está pensando em Copa do Mundo e que a Seleção “não é um mundo cor de rosa” 

213
Foto: Lucas Figueiredo/CBF

Técnico destaca números do Brasil na Copa América e prega respeito ao Chile, rival desta sexta.


A mais de um ano da próxima Copa do Mundo, o técnico Tite diz não pensar no Mundial do Catar e garante estar 100% focado na Copa América. Nesta sexta-feira (2), o Brasil encara o Chile, pelas quartas de final do torneio, às 21h, no estádio Nilton Santos. 

Questionado sobre como o mata-mata do torneio sul-americano pode ajudar a seleção brasileira na preparação para a Copa, Tite afirmou:

– Eu não estou pensando em Copa do Mundo, estou pensando neste jogo, em Copa América, em poder merecer mais que o adversário, de reconhecer virtudes de um adversário, um bicampeão da Copa América contra o último campeão da competição. Tem uma grandeza do jogo, ele é muito maior – destacou o técnico, que na sequência ainda completou: 

– O mundo nosso não é um mundo cor de rosa. Tem discussão, ideias diferentes, arranca-rabo, bico, igual tem na família, num grupo de pessoas, normal, natural. O que temos é condições de ver nossas diferenças e colocar o trabalho acima de qualquer coisa. Não quem está certo, mas o que está certo. Mas isso tudo existe, não pensa que aqui é um mundo cor de rosa, não. 

O treinador destacou os números do Brasil, que está invicto na Copa América, com três vitórias e um empate, e também o fato de ter utilizado todos os atletas na primeira fase da competição. 

– A gente oportunizou todas as situações, agora é ter naqueles que iniciam uma equipe equilibrada, que mantenha a média de gols e criação. Bom desempenho ofensivo e criação, o que é? Temos média de 16 finalizações com 7 ou oito no gol. Isso é transformar posse em objetividade. O que é associado a isso? Solidez defensiva, se não tiver você faz gol lá na frente e fica intranquilo – disse Tite, que pregou respeito ao adversário desta sexta-feira: 

– O Chile é bicampeão da Copa América nas duas anteriores às que o Brasil foi campeão, em 2019. 

Tite esteve acompanhado na entrevista do auxiliar César Sampaio, que também fez elogios ao Chile: 

– É uma equipe de jogadores experientes, a base que tiveram no último confronto nas Eliminatórias. Jogadores acostumados a performar em adversidade. Algumas variações táticas, estamos nos atentando para tudo nesse cenário e preparando a melhor estratégia para neutralizar os pontos fortes deles. 

Questionado sobre o desempenho do Brasil na primeira fase do torneio, Tite se mostrou satisfeito: 

– Objetivos traçados eram de desempenho e foram de resultados na primeira etapa. Construímos três vitórias e um empate, utilizamos todos os atletas, nosso objetivo era de oportunizar dentro do jogo para que as situações se mostrassem. Estarmos todos preparados para os outros enfrentamentos, com grupo confiante. Atingimos os objetivos. 

Veja abaixo outros trechos da entrevista de Tite: 

Escolha do goleiro 

– Três grandes goleiros, o Taffarel é a pessoa, juntamente com Marquinho, que mais ouço para tomar uma definição nesse sentido, e estou muito tranquilo com qualquer goleiro que possa ser utilizado. 

Preparação para mata-mata 

– Nesses jogos decisivos a gente tem que estar muito forte em quatro fatores, que são decisivos: a parte tática, a parte técnica, a parte física e a parte emocional, que precisam estar alinhadas. Quando se estabelece, a gente fica mais próximo da vitória. Isso que temos que ajustar. 

Jogos mais fáceis para fazer observações 

– Eu vou responder com a resposta dos atletas que dizem sobre a felicidade e o orgulho de vestirem a camiseta da Seleção, em qualquer nível, em qualquer jogo, em qualquer situação. Claro que a gente sabe da importância maior que têm os jogos decisivos, mas a gente tem que relativizar, e o sentimento que os atletas têm, dessa importância, desse orgulho de representar o país, isso tem sido marcante nesse grupo. 

Éder Militão 

– Ele está jogando muito, merece todo o reconhecimento. Falei para ele pessoalmente antes do jogo contra a Argentina (em amistoso, em 2019), que iria traze-lo numa situação de concorrência leal com Thiago Silva e Marquinhos, teoricamente os atletas já tarimbados, com experiência, qualidade técnica, capitães de suas equipes, mas pra ele colocar pressão, ele colocou, e fico muito feliz. E o reconhecimento aos outros dois atletas, que são dois extraordinários atletas. 

Elogios de Gustavo Alfaro 

– Me orgulha sem ser orgulhoso e divido com todos vocês que estão comigo, o trabalho não é feito de forma isolada. Tenho certeza que nós nos sentimos orgulhosos, não só eu. 

*Com informações do globoesporte