Rodrigo Cabral é o novo auxiliar técnico do Votuporanguense

253
Foto: Rafael Bento/CAV

Ex-jogador de 39 anos, já trabalhou com o técnico Rogério Corrêa nas categorias de base do Athetico-PR. CAV estreia na Série A3, diante do Rio Preto no sábado (6/3) no estádio Rio Pretão.


O Clube Atlético Votuporanguense apresentou Rodrigo Cabral, como novo auxiliar técnico para a disputa do Campeonato Paulista Série A3. Ex-atleta, de 39 anos, Rodriguinho chega para substituir Rainer Oliveira que deixou o CAV para trabalhar com técnico Rafael Guanaes no Sampaio Corrêa.

Rodrigo Cabral é natural de Guarapuava/PR e como meia atuou por: Clube Atlético paranaense, Portuguesa, Botafogo (RJ), Bahia, Sport Clube do Recife, Avaí, Legião (DF), Mirassol, Guarani, Santos e Nefchi (Azerbaijão).

Rodriguinho é tricampeão paranaense com o Athetico, em 2001, 2002 e 2005; campeão brasileiro com o Sport em 2001; campeão pernambucano em 2006 com o Sport; bicampeão paulista com o Santos em 2010 e 2011, clube que conquistou a Copa do Brasil também em 2010. No exterior, foi bicampeão Nacional em 2011 e 2012 pelo Nefchi. 

Formado técnico pela escola gaúcha, Rodriguinho realizou diversas especializações e estagiou com personagens do futebol como os técnicos Paulo Autuori e Dorival Jr. 

Na Arena Plínio Marin, Rodrigo Cabral, comentou sobre a parceria com o técnico Rogério Corrêa nas categorias de base do Athetico Paranaense: “Tivemos o privilégio de termos trabalhado juntos e revelado alguns atletas, nessa transição de base para o profissional. Foi muito rápido, fiquei admirado pela estrutura do CAV. Aqui existe um alto grau de entendimento estrutural, tem uma energia muito boa. Vamos trabalhar para buscar os objetivos do clube, do elenco e da torcida”. 

A Pantera Alvinegra tem previsão de estrear visitando o Rio Preto, no estádio Riopretão, em São José do Rio Preto/SP, no sábado (6/3), às 10 horas. 

O regulamento do Paulista A3 de 2021 será bastante simples. Na primeira fase, os 16 times se enfrentam em turno único. Os oito melhores avançam ao mata-mata, enquanto os dois piores vão cair para a Segundona Paulista de 2022. Os finalistas sobem ao Paulista A2 de 2022.