Prefeitura de Votuporanga anuncia prorrogação na manutenção de atendimentos do Hospital de Campanha

289

Investimento será de R$ 3 milhões por mês e custeado pela Prefeitura de Votuporanga; espaço possui 23 leitos de suporte ventilatório e hemodiálise para pacientes graves da Covid-19 e abriu com previsão inicial de atendimento por três meses.


Com a percepção no aumento de casos e a eminência de uma terceira onda da Covid-19 apontada por especialistas, o prefeito Jorge Seba determinou que o atendimento no Hospital de Campanha continue por mais 30 dias. Inicialmente, a previsão é que os 23 leitos com suporte ventilatório e hemodiálise fossem necessários até o início de julho. O espaço acolhe pacientes graves da Covid-19, residentes em Votuporanga, e que aguardam leitos de UTI em hospitais da cidade e do Estado. Atualmente, a manutenção ocorre por meio de doações realizadas por empresas do município e recursos do governo municipal.

Ao definir pela continuidade do atendimento, a Prefeitura de Votuporanga assumirá 100% do custeio da unidade, incluindo compra de medicamentos e insumos, além da equipe de profissionais necessária para dar qualidade no tratamento desses pacientes. O investimento mensal será em torno de R$ 3 milhões.

Desde que iniciou o atendimento, em 5 de abril, o Hospital de Campanha já recebeu 134 pacientes a espera de leito de UTI. A estrutura foi montada em menos de dez dias com o apoio de empresários de Votuporanga. Na região do Departamento Regional de Saúde de São José do Rio Preto, essa é a única unidade preparada pela iniciativa municipal, se destacando também em nível nacional.

“Precisamos continuar esse atendimento, para dar mais expectativa de vida para quem precisa do serviço. A nossa missão sempre foi salvar vidas, por isso não mediremos esforços para que cada paciente tenha atendimento de qualidade e numa estrutura bem parecida com a UTI, que é para onde são transferidos quando conseguimos alguma vaga”, destacou o prefeito Jorge Seba.

Seba também determinou que todos os esforços econômicos sejam voltados para essa questão. “Já conversei com cada secretário(a), para que continuem otimizando os nossos recursos, com foco para investimento na saúde. É o que temos que fazer nesse momento”, pontuou.

Além do Hospital de Campanha, a Prefeitura de Votuporanga também criou 12 leitos de enfermaria na UPA 24 horas, para atendimento a pacientes com quadros leves e moderados do coronavírus.

Investimentos na saúde

Desde o início do ano, a Prefeitura de Votuporanga tem promovido iniciativas que atendam os pacientes contaminados pela Covid-19, além de desenvolver medidas preventivas. Entre as ações, a destinação da UPA 24 horas para atendimento exclusivo aos pacientes com sintomas ou confirmados para o coronavírus. No local, a população recebe atendimento médico, com possibilidade de internação de casos leves e moderados.

Entre as medidas preventivas, ações ainda mais restritivas que a fase vermelha do Plano São Paulo, aplicadas no mês de março e que se estenderam em abril. “Mantivemos apenas os serviços considerados essenciais, como estratégia para a diminuição da circulação de pessoas e, consequentemente, a menor propagação do vírus. Com isso, conseguimos diminuir os casos e mortes”, explicou Ivonete Félix, secretária da Saúde. Março é considerado como o segundo mês mais letal desde o início da pandemia, em todo o País, quando foram registrados 66.673 óbitos, de acordo com Conselho Nacional de Secretário da Saúde (Conass).

Em Votuporanga, os pacientes do SUS também contam com um serviço gratuito no atendimento pós-Covid. No ambulatório, que funciona na sede do Consultório Municipal “Dr. Jonas Pires Correa”, no Pozzobon, a população conta com o acolhimento de uma equipe multidisciplinar para tratamento de sequelas causadas pelo vírus. Entre os profissionais, médico, fisioterapeuta, fonoaudiólogo, terapeuta ocupacional, educador físico, nutricionista e assistente social com equipamentos e materiais necessários no processo de reabilitação.