PIRACEMA NO RIO SÃO JOSÉ DOS DOURADOS – Fenômeno raro, com peixes de até 12 quilos, é filmado por pescador esportivo

3845

 

 

Daniel filmou a piracema de Dourados e Curimbas no rio São José, o vídeo pode ser acessado na Internet por meio do link: https:

//www.youtube.com/watch?v=FNGulEr-1dI&fbclid=IwAR1gp4OOVd3E5DKzxzdwzTb8a32Bpu6-xlJYCPdq_DlWZVXrFo1kDTYEWKM

 

 

Entre milhares de peixes um Dourado se mostra com um pulo

A água chega a ficar turva de tanto peixe

 

(Andrea Anciaes)

O lugar certo e a hora exata foi tudo que Daniel Camargo precisou para poder filmar um fenômeno raríssimo que não acontecia há muitos anos no município de Votuporanga, mais precisamente no Rio São José dos Dourados, a piracema com peixes das espécies Dourados e Curimbas de até 12kg. Daniel, que é Editor de Áudio na Rádio Clube FM, nas horas de folga mantém um tablado para pescar no período em que a pesca é liberada.

As imagens que ele flagrou no ultimo dia 11 mostram os peixes se movendo e pulando para fora da água. Ele relatou o quanto se sentiu privilegiado e se referiu a piracema como um “presente da natureza”.

“Aqui no estado de São Paulo a Piracema coincide com o período das chuvas de verão. Por isso, nessa época os peixes já estão chegando às cabeceiras dos rios para começar a reprodução, depois de nadar por quilômetros”, explicou Daniel.

DV: O “defeso” é o período de proteção desse fenômeno sob o seu olhar, qual a importância de programas voltados para a proteção e fiscalização da piracema?

“Muitos pescadores esportivos e comuns ficam em dúvida sobre o que pode ou não fazer durante nesse período, que é protegido por leis tanto federais quanto estaduais. Acredito que o trabalho de fiscalização aqui na região é muito bem feito, mas seria importante que um trabalho de conscientização fosse mais divulgado, com orientações, placas no local, panfletos. O mais importante nisso tudo é proteger e preservar.”

“É fundamental sempre consultar a legislação de onde você costuma pescar, até porque as leis mudam de acordo com o tipo de pescaria: a pesca esportiva tem, evidentemente, definições e restrições diferentes da pesca comercial e de subsistência”, explica e completa, “As punições também variam, quem desrespeita o defeso pode responder por crime ambiental.”

DV: Mas o que é exatamente acontece na piracema?

“A palavra significa, literalmente, `subida do peixe` – `pira` denota `peixe` e `cema`, `subida`, esse deslocamento faz parte do ciclo reprodutivo de muitas espécies.”

“É na subida do rio que, ovários e testículos dos peixes amadurecem até eles alcançarem os locais de desova”, ensina. Segundo ele, o período de piracema varia bastante de região para região e mesmo entre espécies em um mesmo rio.

“É importante conhecer as resoluções publicadas em cada região e observar se alterações ocorreram de um ano para outro”, ressalta de maneira consciente.

Experimente ainda explica: “O período de piracema é importante porque uma desova de sucesso garante que as populações se mantenham vivas pelos próximos anos. E é aí que o poder público entra, para regrar e fiscalizar a pesca nesta, que é uma época mais sensível aos peixes.”

DV: Como foi para você poder filmar esse fenômeno raro aqui em nosso município?

“Se pescar já é bom, poder utilizar a visão presenciando esse fenômeno raro de forma inesperada nos proporciona um prazer a mais, uma vibração inexplicavelmente boa, amplia a expectativa e faz o coração bater mais forte, me faz enxergar o mundo com mais esperança!”

“Nosso planeta está passando por alterações climáticas muito sérias. Recursos naturais importantes estão se esgotando. Tudo isso devido à ação do ser humano. Por isso, hoje em dia, ter consciência ambiental é uma obrigatoriedade.”

A palavra é CONSCIÊNCIA!

Um estilo de vida focado na sustentabilidade, por exemplo, é aquele que provoca uma reflexão a respeito do impacto que causamos em nosso ecossistema. Com isso, a rotina é repensada para que os danos sejam amenizados. Cada uma das nossas atitudes diárias faz diferença, pode acreditar!

Sobre o Rio São José dos Dourados

O rio São José dos Dourados nasce em Mirassol e abastece parte do município. Tem a foz no rio Paraná, correndo paralelamente ao rio Tietê e é ligado a esse rio por meio do Canal Pereira Barreto. Tem um comprimento de 334,5 quilômetros e 6.783 Km2 de área da bacia.

Principais problemas encontrados na bacia

Os terrenos em que está inserida a bacia são muito suscetíveis à erosão. A situação é agravada pelo fato de que não existem unidades de conservação na região e que restam apenas 6,5% da vegetação original (cerca de 449 km²). É notável que em alguns fragmentos maiores (como aqueles encontrados em Meridiano, São João de Iracema e Magda, somando 6.481 hectares cortados pelo rio (ou nas proximidades), a fauna se mostra diversa, sendo constatada por moradores da região, a presença de grandes carnívoros (como a onça-parda), muito ameaçados de extinção no estado de São Paulo, o que mostra a importância da conservação da região também do ponto de vista da biodiversidade.

 

Curimba

O curimba, de nome científico Prochilodus Lineatus, é um peixe da família Prochilodontidae e ordem Characiformes. Esse é um peixe que possui escama áspera, de coloração cinza-prateada e discretas faixas escuras em seu dorso. Além disso, o peixe curimba pode chegar a 80 centímetros de comprimento. Também possui um espinho curto, na região da origem de sua nadadeira dorsal. O peixe possui nadadeira: dorsal; caudal e anal.

O curimbatá, como também é conhecido, possui lábios espessos e carnosos. Sua boca é protáctil, no formato de uma ventosa, sendo essa a principal característica da família. Ele também possui uma grande quantidade de pequenos dentes enfileirados, para que possa raspar os detritos e a matéria orgânica dos rios e lagos.

Por conta disso, em algumas regiões o curimba é chamado de papa-terra. Pois ele se alimenta da matéria orgânica que encontra no fundo dos rios, o motivo para que, algumas vezes, sua carne tenha sabor de barro.

Dourado

O peixe Dourado é uma espécie muito bela e arisca, por isso, pode ser um bom exemplar para a prática da pesca esportiva.

Nome científico – Salminus maxillosus; Família – Salminus.

Natural da América do Sul, o peixe Dourado tem esse nome vulgar graças a sua cor que apresenta alguns reflexos dourados. À vista disso, cabe citar que o peixe não é dourado quando jovem, pois ele tem inicialmente uma cor prateada.

Portanto, à medida que cresce o peixe ganha uma coloração dourada, reflexos avermelhados, com uma mancha na cauda e estrias escuras nas escamas.

Já em sua parte inferior, a cor do peixe Dourado clareia gradativamente. Assim, o animal é considerado o “rei dos rios”, tem o corpo lateralmente deprimido e seu maxilar inferior é saltado. Também tem uma cabeça grande e mandíbulas com dentes afiados.

Dessa forma, o peixe vive em torno 15 anos e seu porte varia de acordo com a região em que vive. Por exemplo, os exemplares mais comuns possuem 70 a 75 cm de comprimento e pesam de 6 a 7 kg.

Entretanto, os indivíduos mais raros da espécie podem atingir cerca de 20 kg. Outra característica relevante é que o peixe Dourado tem a nadadeira anal longa e um grande número de escamas na linha lateral.

Inclusive, o macho se diferencia da fêmea, pois ele possui espinhos na nadadeira anal.