Hemodinâmica da Santa Casa: dois procedimentos inéditos

287

Serviço é considerado um dos mais completos da região e tem inovação e tecnologia como pilares.


O serviço de Hemodinâmica da Santa Casa de Votuporanga é considerado um dos mais completos da região Noroeste paulista, oferecendo diferentes exames e procedimentos minimamente invasivos para tratamento de doenças cardíacas e vasculares.

Com uma moderna infraestrutura, profissionais especializados e equipamentos de última geração, a Hemodinâmica dá maior segurança e eficácia no diagnóstico e tratamentos terapêuticos aos mais diversos problemas cardiovasculares congênitos ou adquiridos.

Recentemente, dois procedimentos inéditos foram realizados pela equipe. Uma tomografia de coerência óptica (do inglês Optical Coherence Tomography; OCT) inovou ainda mais o serviço, com duração de meia hora.

Essa tomografia é uma nova modalidade de imagem intravascular que pode ser utilizada de maneira complementar durante um exame de cateterismo cardíaco ou angioplastia coronária.  Possui a capacidade de estudar detalhes microscópicos da placa aterosclerótica (placa de gordura) e da resposta do vaso ao implante de stent coronariano.

O procedimento foi realizado pelo cardiologista hemodinamicista Dr. José Guilherme Rodrigues de Paula (coordenador da cardiologia clínica), juntamente com a equipe de enfermagem da hemodinâmica e um técnico especialista em imagem da empresa.

Dr. José Guilherme deu detalhes da tomografia. “Durante o procedimento de cateterismo e ou angioplastia, é aplicada anestesia local. O acesso para a realização do OCT é feito pela região da virilha (via femoral) ou pelo punho (via radial), onde um cateter de fibra óptica de aproximadamente um milímetro é introduzido dentro do vaso sanguíneo até o coração, fazendo assim a aquisição das imagens, que permite a identificação da morfologia e composição das placas ateroscleróticas”, afirmou.

Ele destacou que a OCT é indicada para a melhor quantificação da gravidade e extensão da obstrução coronária em algumas situações isoladas. “Auxilia no planejamento e no implante ótimo do stent coronariano nessas ocasiões. Outra vantagem adicional sobre outros métodos de imagens é a sua superior capacidade em identificar a aposição das hastes do stent (selamento correto do stent) à parede do vaso sanguíneo, pequenos traumas e coágulos”, complementou.

CIA

O outro procedimento trata-se do fechamento percutâneo de comunicação interatrial (CIA), realizado por dois médicos hemodinamicistas, um médico ecocardiografista, um anestesista, um técnico de enfermagem, uma enfermeira e um técnico de raio-x.

Dr. João Anisio Ferreira Junior, um dos responsáveis pelo serviço, explicou o fechamento de CIA. “É um fechamento de um orifício em uma parede do coração que separa duas cavidades chamadas átrios. O procedimento é realizado por meio de um cateterismo cardíaco, com punção da veia femoral na região da virilha”, disse.

Ele contou que o paciente foi intubado, com anestesia geral. “Exige a utilização de uma prótese que, após implantada, impede a evolução natural desse defeito como eventos de tromboembolismo, arritmias e disfunção do lado direito do coração – hipertensão pulmonar (falta de ar)”, complementou.

O procedimento teve duração de 90 minutos. “É indicado nos pacientes que começam a apresentar alterações no lado direito do coração (aumento das cavidades). Um sintoma importante é a dispneia (falta de ar)”, ressaltou.

O provedor da Santa Casa, Dr. Roberto Biazi, ressaltou a importância da Hemodinâmica. “Temos profissionais experientes e qualificados, com a realização de diversos exames e procedimentos cardiológicos desde ecocardiogramas, cateterismos e angioplastias, além de cirurgias cardíacas. O serviço é diferenciado e reforça nossa referência em atendimentos de média e alta complexidade”, concluiu.