Governo de SP recua e deve suspender endurecimento da quarentena aos finais de semana e no período noturno 

466

Gestão Doria irá confirmar, no início da tarde, fim do decreto que coloca todo o estado na fase vermelha do plano de flexibilização econômica aos sábados e domingos e das 20h às 6h nos dias úteis. Medida entrou em vigor em 25 de janeiro e permaneceria até 7 de fevereiro.


O governo de São Paulo deverá revogar nesta quarta-feira (3) o decreto que coloca todo o estado na fase vermelha, a mais restritiva, do plano de flexibilização econômica aos finais de semana e das 20h às 6h nos dias úteis. 

Pela previsão inicial, a medida, em vigor desde o dia 25 de janeiro, permaneceria até 7 de fevereiro. O anúncio será feito em coletiva de imprensa, às 12h45, no Palácio dos Bandeirantes. 

Na manhã desta quarta (3), a secretária de Desenvolvimento Econômico, Patrícia Ellen, disse que o governo aguarda as últimas informações dos indicadores de saúde para confirmar a liberação de funcionamento aos setores. 

“Mantendo a tendência que nós registramos nas últimas semanas, nós vamos, sim, suspender essas medidas complementares ao Plano São Paulo para o próximo final de semana, e permitir o funcionamento do comércio e todos os setores da fase laranja”, afirmou Patrícia Ellen. 

Na avaliação da secretária, as restrições foram eficazes para reduzir as taxas de contaminação evitar o colapso do sistema de saúde. 

“Isso mostrou resultado, porque conseguimos permitir que a população fizesse as suas atividades e, ao mesmo tempo, reduzir a velocidade de transmissão do vírus”. 

Ocupação de UTIs 

Nesta terça-feira (2), o estado de SP registava 67% de ocupação dos leitos de UTI, uma leve queda em comparação com os números da semana anterior, quando o índice estava acima de 70%. 

Apesar da melhora, 15 hospitais estaduais têm mais de 80% de ocupação, sendo que seis deles já não conseguem mais atender novos pacientes por falta de vagas. 

Os seis hospitais com 100% de ocupação dos leitos de UTI: 

  • Hospital estadual de Vila Alpina 
  • Hospital de Sapopemba 
  • Hospital Geral de Itapevi 
  • Hospital Estadual Franco da Rocha 
  • Hospital Regional de Sorocaba 
  • Hospital das Clínicas de Botucatu 

Protestos 

Ainda segundo a secretária Patrícia Ellen, o governo estuda medidas para auxiliar o setor de bares e restaures, que fez diversas mobilizações nos últimos dias, contra as restrições de funcionamento. 

Empresários ligados à Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) dizem que fechamento do setor, aos sábados e domingos e das 20h às 6h nos dias úteis, prejudica sobrevivência do segmento. 

“Nas últimas três semanas nós fizemos 15 reuniões com mais de 150 representantes de setores de bares, restaurantes, pequenos comércios, e estamos criando um pacote emergencial para apoia-los”, afirmou a secretária. 

O pacote será voltado para linhas emergenciais de créditos adicionais, e a suspensão dos protestos de dívidas. As medidas deverão ser anunciadas até sexta-feira. 

Plano SP 

Uma nova reclassificação do Plano São Paulo deverá ser divulgada pela gestão Doria na próxima sexta-feira (5). 

Na semana passada, o governo incluiu Ribeirão Preto na fase vermelha, a mais restritiva. A mudança ocorreu após a região atingir 82% na taxa de ocupação dos leitos de UTI para Covid-19. 

Já as regiões de Sorocaba e Presidente Prudente registraram melhora nos indicadores de saúde e avançaram à fase laranja. 

O primeiro final de semana em que todo o estado ficou na fase vermelha da proposta foi marcado por praias lotadas na baixada santista e protestos de donos de restaurantes. 

As regras mais restritivas de isolamento social, determinadas das 20h às 6h nos dias úteis, e aos sábados, domingos e feriados, entraram em vigor na última segunda-feira (25). 

Nesta fase, só estão autorizados serviços essenciais, como padarias, mercados e farmácias. Já bares, restaurantes e comércio não podem funcionar. 

Reclassificação 

No início de janeiro, o governo fez alterações nas regras de funcionamento da fase laranja, e a tornou mais permissiva. 

Na semana passada, a secretária de Desenvolvimento Econômico, Patrícia Ellen, afirmou que bares poderão funcionar na fase laranja apenas se operarem como restaurantes. 

De acordo com ela, esses estabelecimentos podem funcionar nos horários dos restaurantes, caso sirvam comida para clientes que fiquem sentados. 

Desde o início do ano, o governo paulista tem feito reclassificações semanais. No final de 2020, a gestão estadual chegou a colocar o estado na fase vermelha durante as festas de final de ano para tentar evitar aglomerações e, consequentemente, os riscos de contaminação. 

A última reclassificação do Plano São Paulo ocorreu no dia 29 de janeiro. 

O Plano São Paulo prevê o rebaixamento para fases com regras mais restritivas da quarentena em regiões que apresentam grande aumento semanal de novas internações, mortes, casos ou taxa de ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). 

No último dia 15, o governo de São Paulo determinou o cancelamento das cirurgias eletivas em todos os hospitais públicos e conveniados do estado. Na ocasião, também foi anunciada a reativação do Hospital de Campanha de Heliópolis, na capital. 

O governo também alterou o parâmetro de taxa de ocupação de leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTI) na fase vermelha, que passou de 80 para 75%. Pelas regras, nenhuma região poderá mudar para as fases verde e amarela antes do dia 8 de fevereiro. 

Classificação a partir desta segunda-feira (1°) 

Vermelha – só operam serviços essenciais 

  • Marília 
  • Franca 
  • Barretos 
  • Bauru 
  • Taubaté 
  • Ribeirão Preto 

Laranja – bares não abrem, e demais serviços funcionam com restrições de horários e capacidade 

  • Grande São Paulo 
  • Araçatuba 
  • Piracicaba 
  • São José do Rio Preto 
  • Registro 
  • Araraquara 
  • Baixada Santista 
  • Campinas 
  • São João da Boa Vista 
  • Presidente Prudente 
  • Sorocaba 

O que funciona na Fase Laranja

(Esta fase sofreu alterações no dia 5 de janeiro e passou a ser mais permissiva) 

  • Todos os setores de comércio e serviços passam a ser permitidos. A exceção é o atendimento presencial em bares, que continua proibido. 
  • Capacidade de ocupação: antes era de 20% e vai para 40% em todos os setores. 
  • Funcionamento máximo: ampliado de 4 para 8 horas por dia. 
  • Horário de fechamento: atendimento presencial só poderá ser feito até 20h. 
  • Parques estaduais, salões de beleza e academias: poderão abrir. 

O que funciona na Fase Amarela 

  • A capacidade máxima passa a ser limitada a 40% de ocupação para todos os setores. Antes, o percentual variava por setor: academias podiam operar com apenas 30% da ocupação, por exemplo. 
  • O atendimento presencial ao público pode ser feito apenas até as 22h, em todos os setores, exceto no setor de bares, que pode funcionar até as 20h. 
  • O horário de funcionamento passa a ser limitado a 10 horas por dia para todos os setores. Antes, o horário variava por setor. 

Serviços essenciais que podem funcionar na Fase Vermelha 

  • Farmácias 
  • Mercados 
  • Padarias 
  • Açougues 
  • Postos de combustíveis 
  • Lavanderias 
  • Meios de transporte coletivo, como ônibus, trens e metrô 
  • Transportadoras, oficinas de veículos 
  • Atividades religiosas 
  • Hotéis, pousadas e outros serviços de hotelaria. 
  • Bancos 
  • Pet shops

*Com informações do g1