Doria promete mais restrições nesta quarta e critica novo ministro da Saúde

596

“Na coletiva anunciaremos quais serão as medidas adicionais. Certamente terão que ser adotadas. Estamos diante de um quadro gravíssimo e dramático”, declarou o governador de São Paulo.


Novas medidas restritivas serão anunciadas nesta quarta-feira (17) pelo estado de São Paulo. Foi o que afirmou o governador João Doria nesta manhã, durante a liberação de mais 2 milhões de doses da CoronaVac para o Programa Nacional de Imunizações do Ministério da Saúde, na sede do Instituto Butantan.  

Técnicos do próprio governo de São Paulo e profissionais ligados à saúde acreditam que todo o sistema de atendimento no estado pode entrar em colapso até quinta-feira. Doria definiu a situação como dramática e indicou regras mais rígidas no combate à pandemia. 

“Na coletiva (de 12h45 no Palácio dos Bandeirantes) anunciaremos quais serão as medidas adicionais. Certamente terão que ser adotadas. Estamos diante de um quadro gravíssimo e dramático”, declarou. 

João Doria também comentou a troca no comando do Ministério da Saúde e criticou as primeiras palavras de Marcelo Queiroga após a indicação para o cargo que era ocupado pelo general Eduardo Pazuello 

“Começou mal. Como cardiologista, assume o ministério da Saúde e diz que quem manda é o presidente da presidente da república, que não é médico. É um mau presságio. Mais alguém que prefere fazer vassalagem ao presidente da república, ao invés de atender o que ele aprendeu na faculdade e na prática como cardiologista”, declarou 

Com a carga de hoje, o total de vacinas liberadas pelo Butantan ao Programa Nacional de Imunizações do Ministério da Saúde chega a 22,6 milhões de doses desde o início das entregas, em 17 de janeiro.