Delegada da DDM de Votuporanga recebe Voto de Congratulação na Câmara 

350
Foto: Jorge Honorio/Diário de Votuporanga

Dra. Edna Rita de Oliveira Freitas foi homenageada pelo seu trabalho em cumprimento da Lei Maria da Penha.


Durante a 30ª Sessão Ordinária da Câmara, na última segunda-feira (30), os vereadores votuporanguenses entregaram um Voto de Congratulação para a Delegada de Polícia, responsável pela DDM (Delegacia de Defesa da Mulher), Dra. Edna Rita de Oliveira Freitas por seu trabalho para o cumprimento da Lei Maria da Penha. A iniciativa é de autoria da vereadora Jezebel Silva (Podemos).

A parlamentar justificou a homenagem no mês em que a Lei, que pune todo tipo de violência contra as mulheres, completa 15 anos de existência. “Votuporanga possui um belíssimo trabalho realizado pela Delegacia da Mulher, através de um atendimento especializado e humanizado, onde as mulheres podem ser orientadas e também realizar ocorrências para resguardar seus direitos dentro do que preconiza a Lei. À frente deste trabalho está a Dra. Edna, que não mede esforços parta o cumprimento estrito da Lei Maria da Penha, contribuindo significativamente para o município”, comentou Jezebel Silva. 

Convidada a utilizar a Tribuna da Casa de Leis, Dra Edna está à frente da DDM há mais de dez anos, agradeceu a homenagem e dividiu a honraria com todas as investigadoras, agentes e servidoras que atuam na delegacia. 

“Violência não se combate apenas com castigo e pena, mas sim com reeducação. Não é suficiente apenas uma pena para o agressor, a sociedade precisa voltar os olhos para os agressores, pois não adianta proteger a mulher se nada é feito com aquele que pratica a violência, é ele que precisa de um acompanhamento de reeducação. Se não for feito um trabalho com o agressor, os filhos vão crescer tendo esse padrão, que precisa ser desconstruído. Aqui em Votuporanga nós temos estrutura para fazer esse acompanhamento. Então que vocês [vereadores] façam projetos para trabalhar a não violência a partir das escolas e também esse acompanhamento com os agressores, pois só assim teremos resultados. A Lei Maria da Penha já tem 15 anos e a violência não tem diminuído, mas sim aumentado”, explicou à Delegada de Polícia.