“CPI do fura-fila da Covid” ganha fôlego e pode ressurgir na Câmara

273

Alguns vereadores de Votuporanga/SP se manifestaram favoráveis à instalação do processo investigatório; Renato Abdala (Patriota) avalia se reapresentará a proposta na Casa de Leis.


Supostos atos de fura-fila na vacinação contra a Covid-19 em Votuporanga/SP têm sido assunto recorrente, principalmente nas redes sociais, assim a manobra de parte dos vereadores para enterrar a “CPI do fura-fila da Covid” repercutiu negativamente na sociedade, que resultou em cobranças aos parlamentares e reacendeu à discussão na Câmara Municipal. 

Durante a sessão ordinária desta segunda-feira (5), o assunto CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) ressurgiu com o vereador Chandelly Protetor (Podemos), que voltou a falar que seu partido é favorável ao processo investigatório, mesmo que seu companheiro de partido tenha retirado a assinatura; contudo, Chandelly reiterou pedido para que o parlamentar Renato Abdala (Patriota) retome apresentação do procedimento de investigação. 

“A gente sabe que teve três vereadores que retiraram a assinatura, mas nós temos outros vereadores que queriam assinar esse processo para investigar todas essas denúncias. Vou citar como exemplo aqui o Osmair Ferrari, que queria assinar, mas não chegou até ele para que pudéssemos dar andamento nessa CPI. Tudo bem que o prefeito já tomou suas providências, está fazendo a sua parte. Agora o Legislativo tem essa prerrogativa e tem que fazer a sua parte também. Não podemos deixar isso passar em branco, temos que agir como uma Câmara independente”, comentou Chandelly. 

Após essa fala, o vereador Osmair Ferrari (PSDB) anunciou seu apoiamento a causa e explicou que só não assinou anteriormente o pedido de instalação da CPI porque não teve oportunidade: “Se for tentar abrir novamente a CPI pode contar com o meu voto. Eu não tenho a lista inteira, mas realmente tem alguns nomes que não têm nada a ver com a área da saúde. Voto conforme a minha consciência e gostaria de deixar bem claro para toda a população que se caso a CPI voltar a ser colocada nessa Casa, ela terá a minha assinatura e o meu voto”, concluiu o parlamentar. 

O propositor da iniciativa, Cabo Renato Abdala, explicou que realmente não chegou a procurar outros vereadores para que também assinassem o pedido, por acreditar que já possuía as assinaturas necessárias; sendo que cinco mais a dele garantiria, em tese, ao menos a votação do tema. Vereador ainda corroborou a fala Osmair Ferrari, quanto a não coleta da assinatura; porém, comentou que avalia se reapresentará a proposta na Casa. 

Já o vereador Serginho da Farmácia (PSDB), também aproveitou a oportunidade para se posicionar com relação ao tema e garantiu que caso o pedido volta a ser apresentado, ele assinará para que entre em votação: “Temos que fazer sim, temos que criar essa situação. Me coloco à disposição no papel de presidente, concordo plenamente, nós não podemos ficar parados. Se voltar essa CPI eu também assinarei, mas temos que saber fazer a situação e não fazer politicagem em cima disso, isso eu não concordo”, explicou didaticamente o presidente da Câmara. 

Ainda sobre o tema, Renato Abdala concluiu: “Nós estamos avaliando outra situação e isso trataremos depois, pois não param de chegar novos nomes por meio de pessoas que não têm coragem de denunciar na própria Prefeitura, mas está chegando até a mim. Então acredito que seja melhor esperar mais uns dias para completar a lista e se for o caso apresentamos o pedido da CPI novamente”. 

Contudo, na primeira tentativa de instalar o procedimento na Casa de Leis para apurar possíveis irregularidades na imunização aos munícipes, em meio a pandemia que já matou 249 votuporanguenses, apenas Chandelly Protetor, Thiago Gualberto e Renato Abdala mantiveram as assinaturas; Carlim Despachante (PSDB), Mehde Meidão (DEM) e Professor Djalma (Podemos) retiraram apoiamento. Porém, considerando o posicionamento de Osmair Ferrari e Serginho da Farmácia, a iniciativa tem quórum para ser votada pelos parlamentares, caso apresentada novamente.