Covid-19: Estado de São Paulo regride para a fase vermelha do Plano SP

546

A mudança passa a valer a partir da meia-noite de sábado (6) e deve durar duas semanas. Medidas devem ser observadas em conjunto com o decreto complementar do Município de Votuporanga/SP.


Votuporanga/SP, assim como demais cidades do noroeste paulista que fazem parte dos Departamentos Regionais de Saúde (DRS) de São José do Rio Preto/SP regrediram para a fase 1, a vermelha do Plano São Paulo. A mudança passa a valer a partir da meia-noite de sábado (6) e deve durar até o dia 19 de março – dependendo dos índices de infecções, internações e óbitos por Covid-19. 

O anúncio foi feito pelo governador João Doria (PSDB), durante uma coletiva de imprensa realizada no início da tarde de quarta-feira (3). 

A decisão foi tomada após São Paulo ter batido o recorde de mortos e internados com Covid-19, na terça-feira (2). Foram 468 novos óbitos em 24 horas, segundo dados da Secretaria Estadual da Saúde. O governador disse que o estado está na pior semana desde o início da pandemia. 

A fase vermelha é a mais restritiva do Plano SP e autoriza apenas o funcionamento de serviços essenciais, como farmácias, supermercados e postos de combustíveis. 

Shoppings, galerias, comércios de rua, salões de beleza, barbearias e academias devem paralisar as atividades. Eventos, convenções e demais serviços que gerem aglomeração também não são permitidos. 

Na atual configuração do Plano SP, as escolas podem continuar recebendo alunos, com o limite máximo de 35% da capacidade. 

Serviços essenciais que podem funcionar na Fase Vermelha: 

  • Farmácias 
  • Mercados 
  • Padarias 
  • Açougues 
  • Postos de combustíveis 
  • Lavanderias 
  • Meios de transporte coletivo, como ônibus, trens e metrô 
  • Transportadoras, oficinas de veículos 
  • Atividades religiosas 
  • Hotéis, pousadas e outros serviços de hotelaria 
  • Bancos 
  • Pet shops 
  • Serviços de delivery ou entregas 

Votuporanga impõe medidas mais restritivas para combater disseminação da Covid-19 

Na última segunda-feira (1º), a Prefeitura de Votuporanga/SP anunciou um decreto implementado medidas mais restritivas, de caráter excepcional e temporário visando a contenção da disseminação da Covid-19 no Município. 

Decisão do prefeito Jorge Seba (PSDB), veio após à utilização da estrutura de saúde do Município, a qual atende outros 16 municípios e mais de 200 mil pessoas, comprometendo, no momento, 105% (cento e cinco por cento) dos leitos de UTI da Santa Casa de Misericórdia de Votuporanga, como por exemplo no domingo (28). 

Entre as medidas acrescentadas que passaram a vigorar às 0h de quarta-feira e devem seguir até às 23h59 do dia 17 de março de 2021, estão o toque de recolher, a partir das 20h e até as 5h, todos os dias da semana, em todo o território do Município, exceto sob justificativa; suspensão das atividades presenciais em clubes sociais, parques municipais, feiras livres, trenzinhos, salões de festas, chácaras de recreio ou similares, buffet, convenções e atividades culturais públicas ou privada; além da suspensão das aulas presenciais, da rede municipal, estadual, privada e filantrópica; incluindo estabelecimentos de Ensino Superior e de Educação Profissional, exceto cursos profissionalizantes da área de saúde. 

Contudo, as atividades comerciais e de serviços ficam permitidas de segunda a sexta-feira, das 6h às 20h, devendo permanecer fechada aos sábados e domingos; a partir deste sábado, somente serviços essenciais poderão funcionar.  

Na oportunidade, Jorge Seba reforçou que a Polícia Militar irá fiscalizar a circulação de pessoas durante os horários do toque de recolher e as abordagens serão realizadas, para coibir aglomerações e garantir o cumprimento das medidas sanitárias: “Não há mais espaço de tolerância para quem não respeita à vida”, comentou o prefeito de Votuporanga.