Após volta da fase vermelha, Doria pede investigação por ameaças de morte

250

Polícia Civil trabalha na identificação dos autores das mensagens enviadas ao governador de SP.


Os advogados de João Doria, apresentaram queixa formal na Polícia Civil de São Paulo para que sejam investigadas ameaças de morte recebidas pelo governador neste domingo (7). A secretaria de Segurança Pública informou que os agentes trabalham na identificação dos autores das mensagens enviadas a João Doria. 

Em nota, a assessoria de Doria informa que as intimidações a ele e seus familiares não vão evitar que ele continue defendendo a ciência e trabalhando pela vacinação de todos. 

O governador teve que pedir reforço policial após manifestantes contrários às medidas restritivas em São Paulo protestarem em frente a casa dele no Jardim Europa, na capital paulista. 

Contra a fase vermelha, os manifestantes chamaram Doria de “ditador” e “mentiroso” e postaram vídeos na internet contra o governador. 

“A tática de tentar intimidar a mim e aos meus familiares não vai fazer com que eu desanime de continuar lutando, defendendo a ciência, salvando e vidas e trabalhando pela vacinação de todos os brasileiros”, afirmou. 

Em março, o governador já havia sido alvo de ameaças de morte após discussões com o presidente Jair Bolsonaro sobre a condução da crise causada pela pandemia de coronavírus. 

Vídeo

No sábado (6), Doria registrou queixa-crime após a divulgação de um vídeo com o que ele classificou de uma falsa denúncia de que seu filho estaria dando uma festa dentro de casa. Neste domingo, um protesto ocorreu a poucos metros de sua casa contra a adoção da fase vermelha do Plano São Paulo. Até o dia 19 de março, só podem funcionar atividades consideradas essenciais.