Votuporanguense segura o Primavera e fica a um empate da Série A2

347
Rafael Bento/Votuporanguense

No jogo de ida da semifinal em Indaiatuba/SP, o CAV saiu perdendo e buscou a virada do placar, porém terminou em 2 a 2. Neste domingo (6), às 15h, na Arena Plínio Marin, a Pantera Alvinegra precisa de um simples empate para conquistar o acesso e carimbar passaporte para a final da A3.


Primavera e Votuporanguense ficaram no 2 a 2 pelo jogo de ida da semifinal da Série A3 do Paulista, na tarde de quinta-feira (3), no Estádio Ítalo Mário Limongi, em Indaiatuba/SP. O Fantasma da Ituana saiu na frente, com Samuel Guedes, a Pantera Alvinegra chegou a virar com João Marcos e Vinicius Diniz, mas Bonassa determinou o empate.

O resultado é melhor para o CAV, que, por ter feito melhor campanha até aqui, joga pela igualdade na soma dos resultados, além de ter o direito de fazer o segundo jogo em casa. Assim, o Votuporanguense conquista o acesso à Série A2 em caso de novo empate no domingo (6), às 15h, em Votuporanga/SP. Já o Primavera precisa vencer – por qualquer placar – para subir. [Uma vitória dos visitantes seria um feito histórico, já que desde o primeiro confronto entre os clubes, em 2015, nunca venceram o CAV]. 

Com a bola rolando 

O primeiro tempo teve um gol no início e outro no fim. O Primavera começou com tudo e saiu na frente logo aos quatro minutos, com Samuel Guedes aproveitando jogada de Eduardo Júnior. Depois, o Votuporanguense passou a controlar as ações ofensivas ao pouco, mas sem uma pressão efetiva. Só que de tanto rondar a área, o CAV conseguiu o empate já nos acréscimos, aos 48, quando João Marcos pegou sobra dentro da área e mandou no ângulo. 

Já o segundo tempo também teve um gol para cada lado no início e no fim. Mas a ordem foi invertida. Quem marcou antes foi o CAV, com Vinicius Diniz, aos seis minutos. Em desvantagem, o Primavera partiu para cima, principalmente nas bolas aéreas. Foram dois lances perigosos até Bonassa chegar antes de Talles na disputa pelo alto e igualar, aos 38 minutos. O Fantasma ainda ficou com um jogador a menos, com a expulsão de Juninho durante uma confusão nos acréscimos, mas o CAV não teve tempo de aproveitar a vantagem numérica em campo.