Votuporanguense pega o Bahia pela terceira fase da Copinha

139
Abraão Lincoln cobrando pênalti que garantiu empate ao Cavinho contra o Bahia na Copinha no último jogo da fase de grupos — Foto: Christopher Bueno

Duelo ocorre às 13h15, nesta sexta-feira (14), na Arena Plínio Marin, em Votuporanga/SP.


O Votuporanguense que despachou o Guarani na última quarta-feira nos pênaltis e fez história na Arena Plínio Marin, em Votuporanga/SP, tem nesta sexta-feira (14) a oportunidade de seguir a campanha de excelência na Copa São Paulo de Futebol Júnior, quando às 13h15, enfrentará o Bahia, em duelo válido pela terceira fase da Copinha.

O elenco do técnico Rodrigo Cabral já mediu forças com o Bahia na última segunda-feira e o placar foi de 1 a 1. Por falar no Esquadrão de Aço, que classificou em segundo na fase de grupos, justamente pelo empate com o Cavinho, o elenco baiano atuou em Tanabi/SP, no Estádio Alberto Victolo e carimbou o passaporte para a terceira fase ao vencer o então líder do Grupo 2, o Vila Nova-GO, por 2 a 0. 

Classificando com emoção

Desde a última rodada, os jogos da Copinha são disputados em sistema eliminatório. Em caso de empate no tempo normal, a vaga é decidida nos pênaltis. Prova disso é que os corações votuporanguenses foram exigidos a máxima potência em um duelo eletrizante diante do Guarani, e por fim, penalidades.

A pressão aumentou e muito com a bola na marca da cal, porém, o Votuporanguense converteu as cinco cobranças, com Jair, Talerson, Matheus Reis, Victor Moura e Abraão Lincoln. Pelo Guarani, Renanzinho, Wermeson e Biel marcaram. Mas Gabriel Martins parou no consciente goleiro Felipe Gustavo e o Cavinho venceu por 5 a 3 trazendo alivio aos corações votuporanguenses.

Após a classificação, o treinador Rodrigo Cabral enalteceu a entrega do Cavinho: “Com a nossa ideia, dando jogo e visibilidade para os nossos garotos, entenderam que aqui a gente é muito forte. Sempre respeitando, com os pés no chão. Hoje conseguimos colocar o nosso ritmo, desde o início. O Guarani também veio com uma proposta, mas desde o início conseguimos propor o nosso. Tomamos um gol de pênalti, claro que na minha visão foi, não reclamo da arbitragem”. 

Já pensando no Bahia, novamente, o comandante explica que o Votuporanguense está preparado: “Agora é o Bahia, uma equipe que a gente já conhece. Agora é procurar neutralizar as armas deles, não tem segredo porque a gente já conhece eles e eles conhecem a gente, é mais disputa para ver quem passa”, concluiu Cabral.

O maior torneio de base do Brasil

A Copinha começou com 128 times divididos em 32 grupos de quatro cada – os dois melhores por chave avançaram. A partir da segunda fase, os jogos serão disputados em mata-mata. 

Disputada desde 1969 – com exceção de 2021 em virtude da pandemia –, a Copinha já teve 22 campeões diferentes em 51 edições. O Corinthians, com dez títulos, é o maior campeão. Times tradicionais como Palmeiras e Grêmio nunca foram conseguiram conquistar o torneio. 

A final, realizada no dia do aniversário da cidade de São Paulo, em 25 de janeiro, não será realizada no Pacaembu, tradicional palco da decisão e que passa por reformas. A Federação Paulista de Futebol (FPF) ainda não confirmou o local da finalíssima. 

Público liberado: veja protocolos 

Para ter acesso ao estádio, o torcedor deverá apresentar o comprovante de vacinação das duas doses ou dose única. Caso tenha somente a primeira dose da vacina, o torcedor deverá apresentar o resultado negativo do teste PCR realizado até 48 horas antes do jogo ou resultado negativo de teste antígeno com até 24 horas de antecedência.

Para os torcedores não elegíveis no sistema de vacinação, o mesmo deverá apresentar o resultado negativo do teste PCR realizado até 48 horas antes do jogo ou resultado negativo de teste antígeno com até 24 horas de antecedência.

A utilização de máscara será exigida em tempo integral dentro dos estádios.