Votuporanga perde Manoel Anzai para a Covid-19

539
Foto reprodução Rotary Club de Votuporanga

Faleceu na noite desta quarta-feira (24) por volta das 22h45, aos 86 anos, em Araraquara, cidade onde se encontrava internado o Sr. Manoel Anzai. Ele deixa a esposa Schirley Ferrari Arroyo, os filhos Carlos Anzai, casado com Claudia Arado Anzai e Mauro Anzai, casado com Eliane Tridapali Anzai, além dos netos Arthur, Gustavo, Daniel e Lucas.

Nascido em 4 de outubro de 1934, era proprietário da Casa Anzai, empresa estabelecida em Votuporanga há mais de 70 anos, especializada em ferragens, equipamentos e materiais elétricos e hidráulicos.

Manoel Anzai pertencia ao Rotary Club de Votuporanga havia mais de 66 anos, clube do qual foi presidente e contribuiu para realizar inúmeras campanhas em prol da população, principalmente contra a poliomielite, uma das principais bandeiras do Rotary International.

Foi também presidente do Votuporanga Clube e da Associação Comercial de Votuporanga e teve participação decisiva para a construção do imponente prédio da Associação Comercial na esquina das ruas Pernambuco e Mato Grosso. Era um grande entusiasta do crescimento do comércio votuporanguense.

Participou também de varias diretorias do Sindicato Rural de Votuporanga, sendo também membro do seu Conselho Fiscal Efetivo.

Anzai era membro da Irmandade da Santa Casa de Votuporanga, hospital para o qual fez inúmeras doações e intervenções, sempre visando melhorar o atendimento, principalmente da população carente.

Em setembro de 2006, Manoel Anzai recebeu o titulo de Cidadão Votuporanguense, honraria concedida pela Câmara Municipal de Votuporanga com aprovação da maioria dos vereadores.

Manoel Anzai foi mais uma da vitimas da Covid-19. Por falta de leitos de UTI em Votuporanga, ele foi transferido para a Araraquara no início desta semana, mas no final da noite da última quarta-feira (24) não resistiu e faleceu. Pelos protocolos adotados pela Saúde, não houve velório e nem acompanhamento ao sepultamento.

“Me sinto feliz por ter participado tão ativamente da evolução de Votuporanga”

A morte de um dos maiores entusiastas do progresso de Votuporanga consternou a cidade. Desde muito jovem atuando no comércio da cidade, deixa uma história de intensa contribuição com diversas entidades, entre elas a Associação Comercial, do qual foi presidente na gestão de 1979 a 1980.

Era comerciante e atuava na administração da Casa Anzai, que completa 71 anos de fundação em 2021. Paralelo à sua atividade no comércio, o empresário era um entusiasta do progresso, tendo participado da fundação da sede da Associação Comercial. O atual presidente da entidade, Carlos Eduardo Ramalho Matta, falou da importância de Manoel Anzai. “Ele era um incentivador da modernização e de tudo o que poderia colaborar com a vida do lojista. Foi uma pessoa fundamental na nossa história. Deixa um legado importante e fará muita falta”.

Em entrevista concedida à TV Unifev em agosto de 2019, Manoel Anzai relembrou alguns episódios de sua vida. “Quando jovem, conheci os fundadores da ACV e, o nosso grupo de amigos, percebeu que poderíamos ajudá-los na entidade. Pensávamos no dia de amanhã e queríamos colaborar mais. Foi então que, junto com estes fundadores, demolimos a sede antiga e construímos o prédio onde hoje está a ACV. Levou quase 12 anos para isso e hoje a sede da ACV é uma das mais bonitas do Estado. É uma referência. Votuporanga está onde está graças a pessoas que trabalharam com dignidade e com foco”.

Outra conquista relembrada pelo empresário foi a busca do primeiro supermercado para a cidade e também de ônibus para buscar clientes da região. “Começamos a trazer as pessoas de ônibus para virem comprar no comércio de Votuporanga, porque elas tinham o costume de irem para Rio Preto. Conseguimos um supermercado na década de 50 para a rua Amazonas, que foi o primeiro de Votuporanga. Com o tempo, nossa loja de secos e molhados foi perdendo espaço para o mercado. Foi quando montamos a loja de ferragem e isso nos trouxe tudo o que a gente tem. Graças a um trabalho honesto, chegamos à quarta geração da família administrando a loja”, disse.

Ainda durante a entrevista, Manoel Anzai contou que seu pai veio do Japão aos 16 anos. “Aqui em Votuporanga, abrimos uma quitanda na rua Amazonas e éramos uma das primeiras empresas da cidade. Depois disso, buscando maior crescimento, expandimos para uma loja de Secos e Molhados e, mais tarde, em 1950, fundamos a loja de ferragens Casa Anzai”.

Sempre em defesa da modernidade, da inovação e da busca por novas empresas, foi presidente da ACV entre 1979 a 1980. “Sou muito realizado comercialmente e socialmente com grandes amigos. Tudo o que você imagina em Votuporanga eu estive dentro, Santa Casa, Unifev, ACV, Rotary…  Fui voluntário em muitos grupos. Eu me apresentava, porque queria estar ali à disposição para ajudar. Me sinto feliz demais por ter essa vida que eu tive e por ter participado tão ativamente da evolução de Votuporanga”.

O antigo comerciante deu ainda conselhos aos empresários. “Tudo é questão de acreditar. Nós não podemos ter medo de concorrência. Precisamos estar sempre empenhados em crescer, seja nos empregos ou nas indústrias. O comércio tem que estar bonito, ser sempre remodelado. Se seu comércio tem muito tempo, você precisa modernizar”, afirmou.

Nascido em Nova Granada, Manoel Anzai recebeu o Título de Cidadão Votuporanguense e colaborou com a construção do Marco Zero de Votuporanga na praça da Matriz.