Vereador Jura solicita implantação de Ecotudo na zona leste  

248

Segundo o parlamentar, implantação da quarta unidade Ecotudo resolveria um problema crônico de despejo irregular de lixo na região leste da cidade, que pode inclusive ameaçar a qualidade da água da represa municipal.


Desde 2009 um projeto pioneiro que visa acabar com o descarte de lixo inadequado no meio ambiente, o Ecotudo que foi idealizado pela Saev Ambiental e a Prefeitura de Votuporanga/SP, vêm cumprindo seu propósito nas unidades da zona Norte, Sul e Oeste.  

Considerando a expansão do perímetro urbano do município, e com o objetivo de combater o despejo irregular de lixo em terrenos baldios, vias públicas e beira de córregos, o vereador Jurandir Benedito da Silva (Jura) solicitou à Prefeitura a implantação de uma unidade também na zona Leste. 

Ao Diário de Votuporanga, o parlamentar explicou que “o problema existe há anos. Lá existe uma estrutura para descarte residencial, doméstico, mas infelizmente algumas pessoas prejudicam o local jogando alguns materiais que não deveriam ser jogados ali e sim numa unidade do Ecotudo. No final temos sacos rasgados, lixo jogado, um verdadeiro caos”. 

No ofício enviado ao prefeito Jorge Seba (PSDB), Jura justificou seu pedido salientando que “o descarte irregular acontece às margens da Estrada Municipal Primo Furlani que dá acesso a zona rural; assim também como passa sobre o Córrego Marinheirinho, córrego principal
para a formação da represa municipal “Prefeito Luiz Garcia De Haro“, responsável por 25% da água que abastece Votuporanga, colocando em risco a qualidade da água da represa”. 

O vereador ainda contou ao Diário que “peço o Ecotudo, pois a Prefeitura poderá dar a destinação correta desses materiais. Passarão a contar com as baias separadas para depositar esse lixo, além da presença e orientação de servidores que vão controlar esse acesso. É um pedido não só meu, e sim um clamor de toda a população daquela área”. 

A Prefeitura de Votuporanga foi procurada e respondeu em nota: “A Saev Ambiental fará estudo para analisar a viabilidade econômica de se montar um Ecotudo. Outra alternativa que pode atender a demanda daquela região pode ser um Ecoponto. As duas possibilidades serão analisadas pela Autarquia”. 

Nas unidades existentes do Ecotudo, os moradores podem levar entulhos de construções, podas de árvores, óleos de cozinha, móveis velhos, roupas, lixos eletrônicos, pneus, madeiras e outros descartes, onde os resíduos serão separados por uma triagem de materiais recicláveis feitas por baias de sinalização específicas para cada material.