Sobrevivente de tentativa de homicídio é baleado dentro de hospital em Araçatuba; suspeitos são detidos

349
Polícia Militar foi acionada para ir à Santa Casa em Araçatuba após disparos — Foto: Arquivo Pessoal

De acordo com a Santa Casa, alvo foi paciente que está hospitalizado após sofrer uma tentativa de homicídio no fim de semana, em Valparaíso (SP). Ninguém foi preso.

Dois homens armados invadiram a Santa Casa de Araçatuba (SP) na manhã desta sexta-feira (24) e atiraram em um paciente que estava sendo atendido na unidade.

Segundo a Santa Casa, o alvo dos criminosos é um paciente de 28 anos que está internado no hospital desde sábado (18) após sobreviver a uma tentativa de homicídio em Valparaíso (SP). Ninguém foi preso.

De acordo com as informações obtidas, dois rapazes chegaram em um veículo prata e entraram na unidade hospitalar. Eles tentaram entrar pela ala do pronto-socorro, mas foram proibidos.

A dupla foi para a entrada principal e disse que iria entregar um lanche para um paciente, tendo a entrada liberada.

Os criminosos entraram em uma ala do hospital, no segundo andar, e atiraram pelo menos duas vezes no paciente. A vítima foi baleada na mão e no braço. Segundo o hospital, informação sobre o estado de saúde do homem é confidencial.

Depois do disparo, os autores fugiram pela ala de urgência e emergência do hospital. Outros dois pacientes estavam na mesma ala e, segundo o hospital, não ficaram feridos. A Polícia Militar informou que o paciente, vítima da tentativa de homicídio, tem passagens pela polícia.

Presos

Três suspeitos foram detidos na tarde desta sexta-feira (24) suspeitos de participarem da invasão na Santa Casa de Araçatuba.  Os suspeitos foram detidos no bairro Porto Real 2, em Araçatuba.

De acordo com a Polícia Militar, a arma utilizada no crime ainda não foi localizada e mais diligências vão ser realizadas na cidade e também em Valparaíso/SP, município de onde é a vítima. Dos três detidos, dois são de Araçatuba e um de Valparaíso.

Os suspeitos foram levados para o plantão policial, onde serão ouvidos pelo delegado responsável pelo caso para saber da real participação deles no crime.