Organização médica de Tóquio pede cancelamento das Olimpíadas 

525

A menos de 70 dias da cerimônia de abertura, Associação de Praticantes Médicos de Tóquio alega que evento vai piorar os números da pandemia no país.


Dias depois do sindicato dos médicos, agora é a vez de uma importante organização médica lançar um manifesto contra a realização das Olimpíadas de Tóquio, prevista para o dia 23 de julho. A Associação de Praticantes Médicos de Tóquio, que representa 6.000 profissionais de cuidados primários, disse que os hospitais na cidade-sede dos Jogos “estão ocupados e quase sem capacidade ociosa” em meio a um surto de infecções da Covid-19.

“Solicitamos veementemente que as autoridades convençam o COI (Comitê Olímpico Internacional) de que realizar as Olimpíadas é difícil e obtenham sua decisão de cancelar os Jogos”, disse a associação em uma carta aberta em 14 de maio ao primeiro-ministro Yoshihide Suga, publicada em seu site na segunda-feira. 

Os especialistas japoneses dizem que o país vive uma quarta onda de casos de Covid-19, com os números chegando na casa dos seis mil casos diários há algumas semanas. O governo estendeu um estado de emergência em Tóquio e em outras oito prefeituras até, pelo menos, 31 de maio, e os casos estão, neste momento, em 3.500, o que mostra uma redução. A vacinação segue a passos lentos no Japão, com 3% da população imunizada. 

Adiados no ano passado por conta da pandemia, os Jogos Olímpicos enfrentam grande resistência no Japão por conta do aumento do número de casos. Ainda assim, o COI se disse otimista em reverter a opinião pública com o sucesso das Olimpíadas. O evento está previsto para acontecer entre os dias 23 de julho e 8 de agosto. 

*Com informações do globoesporte