Noroeste marca aos 48 do 2º tempo, empata com Comercial e fica com título da Série A3 

132
Noroeste campeão da Série A3 do Paulista 2022 - Foto: Bruno Freitas/Noroeste

Leão abre 2 a 0, mas Norusca reage, consegue 2 a 2 e levanta troféu da terceira divisão de São Paulo.


O Noroeste calou o Palma Travassos na tarde do último sábado (21.mai), quando, aos 48 minutos do segundo tempo, Hygor balançou a rede e decretou o empate por 2 a 2 com o Comercial. 

O Leão do Norte, com melhor campanha, levava o troféu até os acréscimos. O volante Gustavo marcou duas vezes para o time alvinegro, porém, o lateral-direito Hygor foi o grande herói da final e puxou a reação do Norusca como o autor dos dois gols que deram o título da Série A3 ao clube de Bauru.

Campanha do Norusca 

O técnico Luiz Carlos Martins já havia feito valer o apelido de “rei do acesso” ao garantir o Noroeste na Série A2, mas agora fechou a campanha com a “cereja no bolo”. 

Depois de frustrações em 2020 e 2021, a dupla Martins-Noroeste, enfim, celebrou o título com 13 vitórias, sete empates e cinco derrotas ao longo da Série A3. Foram 29 gols marcados e 17 sofridos. 

Mais um caneco! 

O Norusca conquistou pela segunda vez a Série A3. A primeira havia acontecido no distante ano de 1995. 

O clube de Bauru também tem em sua sala de troféus três conquistas da Série A2 (1953, 1970 e 1984), duas Copas Paulista (2005 e 2012) e foi bicampeão do Interior (1943 e 2006). 

Filme repetido 

O torcedor do Comercial teve aquela sensação que os franceses denominam “déjà vu”, ou seja, eles já viram essa cena anteriormente. E nem faz tanto tempo. Foi em 2018. Quando o Leão fez também a melhor campanha e chegou como favorito ao troféu da Segunda Divisão Paulista (na prática, o quarto nível do futebol estadual). 

Na decisão, a equipe vencia o Primavera, no Palma Travassos, por 1 a 0, mas sofreu dois gols nos acréscimos e perdeu o título, num cenário bastante parecido com o da tarde deste sábado, onde, em casa, teve a rede balançada no fim da partida e deixou mais um troféu escapar. 

A última vez que o Leão do Norte venceu um campeonato estadual foi em 1958, quando ganhou a divisão de acesso, equivalente hoje à Série A2. 

Com a bola rolando 

Em desvantagem no início do confronto após perder o jogo de ida, o Comercial partiu ao ataque desde os instantes iniciais, povoou o campo de ataque e, logo no primeiro lance de perigo, abriu o placar com Gustavo, nome dos 45 minutos iniciais. Aos 9 minutos, Wendel furou finalização sem goleiro após passe de Luís Roberto, mas se recuperou e encontrou Gustavo, que entrou em velocidade e encheu o pé para abrir o placar. No lance seguinte, o Norusca respondeu com belo passe de John Egito para Marco Goiano, mas Matheus Almeida impediu o empate. Aos 30, o goleiro alvinegro foi novamente exigido em lance cara a cara com Diogo Calixto, mas levou a melhor. Três minutos depois, Gustavo, mais uma vez, aproveitou a saída errada do Norusca para arrancar no campo de ataque, fintar o marcador e bater firme, entre as pernas de Pablo, para ampliar o marcador. Porém, o tento acordou a mira dos visitantes, que reduziram a diferença em forte cabeceio de Hygor após cobrança de escanteio. Gustavo ainda teve mais uma chance, aos 42, mas foi parado pelo goleiro e pelo bandeira, que assinalou impedimento. 

Na volta dos vestiários, o Comercial mudou de postura por conta da vantagem no placar. Logo aos 8, Gustavo Silva, que vinha sendo o principal nome da partida, com dois gols, sofreu uma contusão e pediu para ser substituído. Depois da alteração, o Norusca subiu mais ao ataque e, aos 14, quase empatou com bela cobrança de falta de Pereira, parada por uma defesaça de Matheus Almeida. Aos 20, foi a vez de John Egito arriscar batida rente à trave. A segunda chance do ponta veio três minutos mais tarde, de canhota, também perto da meta. Aos 33, Leleco recebeu a bola com espaço, dominou no peito e encheu o pé para empatar, mas acertou a rede do lado de fora. A partir de então, o Comercial passou a dominar, principalmente a partir jogadas de Rodolfo, a posse de bola no confronto. Tudo corria bem até os 45 minutos, quando o zagueiro Maycon Douglas, que havia acabado de entrar no lugar de Wendel, deu uma tesoura por trás no adversário e foi expulso direto. Com isso, o Noroeste ganhou sobrevida na final e, em uma bola alçada na área, Hygor, herói do título, marcou no último lance em batida chapada no canto. Após o gol, uma confusão foi iniciada, Gustavo Marciano foi expulso e o árbitro, após uma agressão de um dos membros da comissão técnica comercialina, optou por encerrar o duelo. 

Reencontro em breve 

Noroeste e Comercial voltarão a se enfrentar na Copa Paulista, que terá início em julho. Os dois times estão no Grupo 1, ao lado de Botafogo-SP, Marília e Sertãozinho. A competição dá vaga à Série D do Brasileiro ou à Copa do Brasil.