Mulher morta pelo marido com mata-leão fez desabafo na web horas antes do crime: ‘Um dia a gente aprende’

790
Bruno foi preso e está à disposição da Justiça na cadeia de Santa Fé do Sul (SP). Ele poderá responder por feminicídio e ocultação de cadáver.

Corpo de Aline Gonzales foi encontrado em um canavial de Fernandópolis (SP). Bruno Leal confessou à polícia que matou a mulher por ciúme.

Aline foi morta asfixiada em Fernandópolis — Foto: Arquivo Pessoal

A mulher de 30 anos que foi morta asfixiada pelo marido e teve o corpo abandonado em um canavial, em Fernandópolis (SP), usou as redes sociais horas antes de ser assassinada para fazer um desabafo: “Um dia a gente aprende”, escreveu Aline Gonzales, que era mãe de dois filhos pequenos.

O crime foi cometido na noite de terça-feira (7). O marido dela foi preso no bairro Eldorado, em São José do Rio Preto (SP). Bruno Leal, de 31 anos, confessou à polícia que matou a mulher por ciúme.

De acordo com a Polícia Civil, Bruno já tinha agredido e ameaçado a vítima e parentes delas nos últimos meses. Ele estava sendo investigado em liberdade.

“Observamos que ele praticou lesão corporal na vítima em janeiro. Ele foi autuado em flagrante e, segundo consta, foi liberado na audiência de custódia. Já no ano passado, ele agrediu a mãe da vítima e ameaçou a irmã dela”, afirma o delegado Oreste Carósio Neto.

Nas redes sociais, familiares e amigos lamentaram a morte de Aline e fizeram as últimas homenagens. Um primo escreveu “quantas e quantas vezes te avisei” e que “Deus te receba de braços abertos. Você foi e sempre será uma guerreira”.

Parente publicou texto nas redes sociais depois de o crime ser cometido em Fernandópolis  — Foto: Reprodução/Facebook

 

Morte

 

Aline Gonzales foi morta e a polícia prendeu o marido, que teria confessado o crime em Fernandópolis — Foto: Arquivo Pessoal

 

Segundo a Polícia Civil, o casal brigou na tarde de terça-feira por ciúme e Bruno acabou empurrando Aline. Ela disse que iria registrar ocorrência, mas levou um soco e foi asfixiada com um golpe de mata-leão até morrer.

Em seguida, Bruno deixou o corpo dela em um canavial em Fernandópolis e depois fugiu para Rio Preto.

“A vítima não pode deixar de registrar o fato, comunicar a polícia para apurar. Quer seja uma ameaça ou agressão. A gente observa que esses casos começam com ameaça depois lesão corporal e depois, infelizmente, a morte”, diz o delegado.

Prisão

De acordo com a Polícia Militar de Rio Preto, o suspeito foi encontrado sentado e chorando no bairro Eldorado durante patrulhamento de rotina.

Ele foi abordado pelos policiais, questionado e confessou ter matado a mulher e ocultado o corpo dela. A equipe, então, entrou em contato com a polícia de Votuporanga, que foi até o local indicado por Bruno e encontrou o corpo de Aline.

Aline, que tinha dois filhos, sendo um deles com Bruno, foi enterrada na tarde desta quarta-feira (8), em um cemitério de Fernandópolis. Os filhos da vítima ficarão com a avó materna. (G1)