Moradores fazem limpeza e consertam estragos após temporal no noroeste paulista

358
Posto de combustível teve o forro arrancado pela força do vento em Guapiaçu — Foto: Walison Lança

Uma das cidades mais afetadas, Catanduva amanheceu a quinta-feira (19) fazendo a limpeza e consertando ruas, avenidas e comércio. Temporal também prejudicou moradores em Rio Preto, Uchoa e Birigui.

A chuva desta quarta-feira (18) provocou estragos e transtornos na região. A cidade que mais sofreu com o temporal foi Catanduva (SP), que amanheceu nesta quinta-feira (19) começando a limpeza e consertando os estragos.

De acordo com a Defesa Civil, a chuva durou aproximadamente uma hora, com 39 milímetros por metro quadrado. No bairro Colina do Sol muitos galhos caídos nas ruas e calçadas na manhã desta quinta.

“As equipes estão fazendo a limpeza onde teve queda de árvores, desobstruindo as vias, e limpando a lama para evitar novos acidentes. As maiores reclamações foram alagamentos, carros ilhados e quedas de árvores”, afirma Luiz Carlos Larocca, coordenador da Defesa Civil de Catanduva.

 

Forte enxurrada derruba e arrasta motos em rua de Catanduva

 

Apesar do Rio São Domingos não ter transbordado com a chuva, as ruas e avenidas próximas por ser baixada ficaram alagadas.

Na rua Brasil, motos que estavam estacionadas caíram e foram arrastadas pela forte enxurrada. Moradores se uniram para segurar os veículos. (veja vídeo acima)

Já na rua Pará, um carro filho ilhado. O motorista precisou ficar sentado na janela do veículo, esperando a água abaixar.

Moradores se unem para não deixar motos serem levados por enxurrada em Catanduva — Foto: Arquivo Pessoal

Região

Em São José do Rio Preto (SP) também choveu forte. Na média 55 milímetros por metro quadrado. No bairro Eldorado, a chuva foi mais volumosa com 68 milímetros em 24 horas. No mês de novembro até o dia 17 havia chovido apenas 34 milímetros, sendo que a média histórica para o mês é de 109.

A chuva causou alagamentos em avenidas e ruas. Um avião precisou arremeter ao tentar pousar no aeroporto do município por conta da falta de visibilidade. Segundo a torre de controle do aeroporto, os ventos chegaram a atingir velocidade de até 58 km/h.

A aeronave precisou pousar em Ribeirão Preto (SP), cidade a 185 quilômetros de distância de Rio Preto.

Uchoa (SP) também sofreu com o temporal, com a ventania derrubando árvores e um muro. A tempestade durou uma hora. Uma árvore caiu na região central e esse caro que estava embaixo foi atingido. Ninguém ficou ferido.

Na praça Central, árvores e galhos também caíram e os fios de energia acabaram ficando pendurado. No bairro Jardim Tropical, uma árvore ficou no meio da rua.

A ventania também fez estragos em outras cidades próximas. Em Guapiaçu (SP), um posto de combustíveis que fica na Avenida Professora Julia Ferreira Arid foi danificado. A força do vento levantou o forro o posto.

Na cidade de Itajobi a chuva e o vento chegaram forte nesta quarta-feira. Além disso, choveu granizo e assustou os moradores, mas apesar disso, não houve estragos graves no município.

Em Birigui, o vento forte danificou quatro barracas montadas em uma pista de kart. A direção do kartódromo disse que não tinha ninguém nessas barracas e tudo já foi remontado.