Memorial de Cosmorama – Histórico

3115

 

A ORIGEM

A ideia de fundação de um arraial começava a crescer. Grande era o impulso inicial. Famílias atraídas pelas terras férteis e baratas e pela oportunidade de arrumar a vida começaram a migrar, se fixando na terra para plantar o café e criar o gado. Foi diante dessa migração que o industrial, Júlio Catini, de Tanabi, teve a ideia de montar nas proximidades da venda do Maciel, uma máquina de beneficiar café para aproveitar a excelente produção das fazendas: Prata, Ribeirão Bonito, Piedade, Marinheiro (hoje Votuporanga) e tantas mais que começaram a aparecer.

FUNDAÇÃO DO POVOADO

O povoado de Santa Helena marcha rápido para seu completo aniquilamento. Os novos bandeirantes procuram as proximidades da máquina de café para se instalar. As pessoas se unem e procuram o sitiante Antônio Cândido Borges e propõe a este, a construção de um prédio em estilo primitivo para outra máquina de café, em troca da cessão de uma gleba de terras para sediar um patrimônio que seria fundado. Animado pela perspectiva de erguer em terras de sua propriedade a povoação sonhada, e antevendo a valorização das terras do redor, o sitiante Antônio Cândido Borges contrata o agrimensor Germano Robach para que ele proceda à inspeção do terreno escolhido em torno da venda do “Tatiano” e faça o corte das terras em quadras para a distribuição dos lotes. Tudo isso aconteceu entre 1.920 e 1.930. A demarcação das terras foi concluída em 10 de outubro de 1931, tendo como limitantes externos, Manoel Inácio Pimenta e Militão Alves Monteiro, os quais, decorridos algum tempo também começaram a vender lotes e retalhar suas propriedades, expandindo o patrimônio.

ORIGEM DO NOME

Para a escolha do nome do patrimônio foi incumbido Sebastião Almeida Oliveira, o qual considerando a posição geográfica do local sugeriu o nome de COSMORAMA (do grego kosmos, que é igual a Mundo e Orama, que significa Vista), que fazendo a junção significa: Vista do Mundo.

CONSTRUÇÃO DA PRAÇA

Foi designado um lote para a construção de uma praça, que recebeu o nome de Praça Bandeirantes, e as primeiras ruas receberam os nomes dos Estados Brasileiros.

REGISTROS DO HISTORIADOR – LINHA DO TEMPO

O município de Cosmorama que teve suas origens remontando os anos de 1930, quando a região que era considerada sertão, e começou a ser desbravada, aparecendo os povoados de Vila Carvalho (Votuporanga), Águas Paradas (Américo de Campos) e outros para atender a boiadeiros que vinha do Mato Grosso para trazer gado para os frigoríficos de Barretos, passando pela região. A partir do Córrego do Retiro, na Fazenda Nova, começaram a aparecer vendas na beira de estradas ao longo da rodovia de terra aberta para ligar os patrimônios existentes até a Vila Monteiro. A primeira delas era de propriedade de Jerônimo Hipólito da Silva. Centenas de metros além surge a de Cezário Penão, antigo inspetor de quarteirão e, finalmente, as de Joaquim da Costa Maciel, conhecido como “Tatiano” constituída de tosco rancho de sapé ao lado do caminho, no topo, bem próximo a Santa Helena, povoado que existia logo após a revolução de 1932. Algumas tropas enviadas para guarnecer as fronteiras de São Paulo concentraram-se em Tanabi. Por sua posição estratégica, Cosmorama tornou-se um centro de operações, sendo instalado na época um Posto Militar de emergência. Devido a isso, Cosmorama se tornou conhecida em toda a Araraquarense. As questões de polícia da região eram resolvidas em Cosmorama.

CRIAÇÃO DO DISTRITO

Aos poucos foram chegando mais e mais forasteiros. Desse crescimento, resultou a necessidade de ser criado o distrito policial. Para isso, os moradores dirigiram diversas representações às autoridades estaduais. Somente em agosto de 1.937 a reivindicação foi atendida com a nomeação de Antônio de Martins para Subdelegado de Polícia, Permino Barbosa de Souza para primeiro suplente, e José Luvizari para segundo suplente de delegado.

Em 09 de setembro de 1936, através da Lei Estadual nº 2.659, foi criado o Distrito de Paz de Cosmorama no município de Tanabi, comarca de Monte Aprazível. Com a chegada da estrada de ferro, acentuou-se o progresso da vila, pela proximidade da nova estação ferroviária que ficava a sudoeste, a dois quilômetros da sede industrial.

CRIAÇÃO E EMANCIPAÇÃO DO MUNICÍPIO

Em 24 de dezembro de 1948, através da Lei Estadual nº 233, Cosmorama foi elevada a categoria de Município, e sua instalação ocorreu em 09 de abril de 1949. O primeiro Prefeito Municipal eleito para o período de 1949/1953 foi o senhor José Rodrigues Moreno, tendo como Vice, o senhor Jorge Elias Gauch. A Câmara de Vereadores eleita para o mesmo período era formada por 13 vereadores, a saber: Nasser Marão – Presidente, Jorge Elias Gauch – 1º Secretário e Walter Matiel – 2º Secretário. Demais integrantes: Benedito Carlos Stachissini, Trancolino Tolentino de Souza, José Cassiano da Silveira, Juvenal Augusto da Silva, Osmundo Dias de Oliveira, Gumercindo Alves de Campos, José Sampaio, Alcides Gonçalves de Oliveira, Francisco Marciano da Silva e Vicente Morseli.

 

GALERIA DE PREFEITOS

JOSÉ RODRIGUES MORENDE     1949 à 1953

BENEDITO CARLOS STACHISSINI              1953 à 1957

ARISTIDES VENDRAMINI             1957 à 1961

OSWALDO JOSÉ RIBEIRO             1961 à 1964

CHRISTOVAM MELHADO             1964 à 1965

HONÓRIO DE PAULA RIBEIRO    1965 à 1969

CHRISTOVAM MELHADO             1969 à1973

OLICIO THOMAZELLI      1973 à 1977

NELSON NARCISO DA SILVEIRA                1977 à 1983

OLICIO THOMAZELLI      1983 à 1988

ADALBERTO CORREGA GOMES 1989 à 1992

MARCIANO FRANCISCO DA SILVA          01/01/1993 à 31/12/1996

ADALBERTO CORREGA GOMES 01/01/1997 à 31/12/2000

GILMAR DO NASCIMENTO BARALDI      01/01/2001 à 31/12/2004

ANTÔNIO EDIVALDO PAPINI     01/01/2005 à 31/12/2008

ANTÔNIO EDIVALDO PAPINI     01/01/2009 à 31/12/2012

CLAUDINEI MONTEIRO GIL         01/01/2013 à 31/12/2016

LUÍS FERNANDO GONÇALVES   01/01/2017 à 31/12/2020

 

OBS.: O Sr. JOSÉ RODRIGUES MORENDE, foi o primeiro Prefeito de Cosmorama.