Funcionária que morreu após ter 91% do corpo queimado em padaria será enterrada em Birigui

586
Maria Magnólia da Silva morreu após ter corpo queimado — Foto: Arquivo Pessoal

Vítima de 20 anos, que estava internada há um mês, e colega de trabalho reabasteciam com álcool um aquecedor de alimentos quando acenderam um palito de fósforo e objeto pegou fogo.

O corpo da jovem de 20 anos que morreu após ter 91% do corpo queimado em um acidente de trabalho em uma padaria foi enterrada na manhã desta terça-feira (12), em Birigui (SP). O velório aconteceu na Capela Cardassi.

O acidente foi registrado no dia 10 de setembro. Desde então, Maria Magnólia da Silva estava internada em estado grave em um hospital de São Paulo especializado em queimaduras.

Segundo a polícia, ela e uma colega de trabalho, de 26 anos, reabasteciam com álcool um aquecedor de alimentos quando acenderam um palito de fósforo e o objeto pegou fogo. Com isso, as duas sofreram várias queimaduras pelo corpo.

Maria teve os ferimentos mais graves e não resistiu. A outra mulher sofreu queimaduras nos braços e nas pernas.

Em nota, a padaria lamentou a morte da funcionária e disse que prestou assistência à vítima e familiares.