FRAUDE – Whatsapps de Carlão Pignatari e Itamar Borges são clonados

563

Familiares, amigos e contatos dos deputados Carlão Piganatari e Itamar Borges, acordaram neste domingo, dia 10, com mensagens no Whatsapp, e também ligações por meio do aplicativo, pedindo dinheiro emprestado.

Além de Carlão e Itamar, o ex-deputado Vaz e a mulher, Ivani Vaz de Lima, passaram boa desde domingo Dia das Mães tentando minimizar estragos avisando as pessoas próximas que o celular do tucano tinha sido clonado.

Depois de Vaz de Lima correr atrás de avisar seus contatos de que seu WhatsApp tinha sido clonado por golpistas, foi a vez de o deputado estadual Itamar Borges (MDB) fazer o mesmo.

O emedebista está comunicando as pessoas com quem interage no aplicativo para que não respondam a nenhuma conversa que possa ter sido supostamente encaminhada por ele. A lista de políticos deve crescer, porque o próprio PSDB estadual lá fez comunicado oficial neste sentido.

Já na pagina do Facebook de Marli Pignatari, um aviso alertava: “Atenção CLONARAM O CELULAR DO CARLÃO- estão ligando pedindo dinheiro, fiquem atentos”.

As abordagens dos golpistas são variadas. No caso dos parlamentares os golpistas pedem que o contato faça uma transferência bancária para seu “nome”, alegando que seu limite já foi atingido e que devolve o dinheiro no dia seguinte. Estratégica que se tornou usual no repertório de golpes digitais.

Numa das abordagens,  o golpista solta um palavrão quando percebe que a vítima desconfiou da fraude. Em outro caso, em que o interlocutor não percebe de cara que se trata de um criminoso do outro lado, a conversa avança ao ponto de o número de uma conta ser oferecido para o depósito de R$ 5 mil.

Outro expediente adotado pelos golpistas é o envio de mensagem em grupos dos quais Vaz de Lima faz parte dizendo que o número dele foi alterado. Quando a pessoa aciona o número, acaba clonada também. O PSDB de São Paulo emitiu nova dizendo que outros membros do partido tiveram o Whatsapp clonados e orientando que ninguém aceite convites de supostos integrantes do partido para participar de grupos no APP.  A deputada Analice Fernandes é outra que teve seu celular clonado.