Dia da Visibilidade Trans: Sueli Friósi pede instituição da data em Votuporanga

448

Vereadora apresentou na última sessão da Câmara, um projeto de lei para instituir no município o “Dia da visibilidade de pessoas transexuais”. Data tem o objetivo de aumentar a conscientização sobre a letra T da sigla LGBTQIA+, que representa as pessoas travestis, transexuais e transgêneras.


Na sessão ordinária da Câmara Municipal de Votuporanga/SP, na segunda-feira (22), a vereadora Sueli Friósi (PTB) apresentou na tribuna da Casa de Legislativa um projeto de lei para instituir no município o “Dia da visibilidade de pessoas transexuais”. 

No início de sua fala, a parlamentar falou sobre a Campanha da Fraternidade Ecumênica de 2021 com o tema “Fraternidade e Diálogo: compromisso de amor” e o lema “Cristo é a nossa paz: do que era dividido, fez uma unidade”; lançada na última quarta-feira (17) e organizada pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e o Conselho Nacional de Igrejas Cristãs (Conic). 

“É importante afirmar, que hoje em dia tem uma gleba de pessoas que são LGBTQIA+ e ao movimento político social que defende a diversidade e busca mais representatividade e direitos para a comunidade. Dessa forma solicitei ao Executivo, que se institua o dia 29 de janeiro como o dia da visibilidade de pessoas transexuais de Votuporanga, que já é instituída em outros municípios e o Projeto de Lei que dispõe de uso social e o reconhecimento da identidade de género de pessoas, travesti, transexuais, no âmbito da Administração Pública municipal direta, autárquica e fundacional, como também os das
funcionárias, permissionárias do serviço público”, explanou Friósi. 

A vereadora ainda completou, salientando que ter dignidade e poder ser respeitado pela a identidade de género faz muita diferença para quem nunca teve apoio na comunidade em que vive, trabalha e paga impostos, como qualquer outro cidadão. 

Ao Diário de Votuporanga, o ativista dos Direitos Humanos em Votuporanga, Tom Shake, que é presidente da Rede de Apoio e Inclusão Liberdade de Amar, comentou sobre a importância da propositura de Sueli Friósi: “O Brasil segue com infeliz título do país que mais matam a população LGBTI+ se você for trabalhar dentro do segmento perceberá que principal alvo são pessoas efeminados e transexuais. O dia da visibilidade municipal de pessoas transexuais é na verdade uma regulamentação, ela já existe em nível nacional só irá acolher essa população em nível municipal”. 

Tom Shake, finalizou explicando que “o dia da visibilidade de pessoas transexuais e travestis é fundamental para reconhecimento da dignidade humana, é urgente e emergencial que as todas as estruturas se modifiquem trazendo acesso a todos os direitos humanos, como por exemplo Educação, Saúde, Trabalho e Moradia”.