Covid: Araçatuba confirma morador infectado com variante de Manaus

350

Informação foi divulgada pela médica infectologista Heloysa Liberatori Gimael.


A médica infectologista Heloysa Liberatori Gimael afirmou na tarde desta quinta-feira (11) que um paciente de Araçatuba/SP foi infectado pela variante P.1 do coronavírus. A informação foi divulgada durante live transmitida na página oficial da prefeitura.

Identificada em Manaus/AM, a variante tem uma carga viral dez vezes maior do que as outras, segundo estudo feito por pesquisadores da Fundação Osvaldo Cruz (Fiocruz). 

De acordo com Heloysa, o paciente infectado permanece internado em um hospital de São Paulo. Foi questionado se o morador foi contaminado na capital paulista ou em Araçatuba, mas não havia obtido retorno até as 18h. 

“Tivemos a uma informação, por um colega médico, uma informação oficial, de que foi avaliada em um hospital privado de São Paulo a presença da cepa P1, a de Manaus, aqui em Araçatuba. É um paciente que mora aqui, mas está sendo atendido em São Paulo”, afirmou. 

“Não sabemos ainda o que essa mutação nova representa em termos de transmissibilidade, em termos de evolução da doença. O que sabemos é que existe realmente a cepa circulante”, complementou Heloysa. 

A médica infectologista disse que as autoridades da área da saúde já suspeitavam de que uma nova variante da Covid-19 circulava no município. 

“Nós percebemos o aumento no número de casos, mas o que chamou nossa atenção foi o aumento da letalidade. Ou seja, tivemos mais óbitos proporcionalmente ao número de pessoas diagnosticadas com a doença. O que também chamou atenção foi o fato de que estamos encaminhando mais jovens para a internação”, contou. 

Heloysa informou que a cidade sofre com a consequência das aglomerações das festas de final de ano e com a circulação da variante. 

“A gente tem uma manutenção da letalidade mais alta e com número de casos cada vez maior. Nesse sentido, a gente consegue afirmar que a abertura de novos leitos não será suficiente. Precisamos barrar a transmissão”, disse. 

Nesta quinta-feira (11), a Santa Casa de Araçatuba atingiu 108% de ocupação nos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). 

“A partir da saturação dessa estrutura, caberá as Secretarias Municipais de Saúde inserirem na Central de Regulação e Oferta de Serviços de Saúde (Cross) do Estado de São Paulo os pacientes de Araçatuba e das cidades da região abrangida pelo Departamento Regional e Saúde, para localização de hospitais que tenham vagas”, informou a assessoria do hospital. 

*Com informações do g1