Comerciante de Araçatuba é internada para operar joelho direito e procedimento é feito no esquerdo

755

Familiares disseram que médico assumiu erro, alegando ter esquecido o relatório do procedimento no consultório.

Os filhos de uma comerciante de 54 anos, moradora no bairro Morada dos Nobres, em Araçatuba (SP), registraram um boletim de ocorrência de lesão corporal contra um médico de 70 anos, contratado para realizar cirurgia no joelho direito da mãe deles.

Ao término do procedimento, que foi realizado no Hospital Central, o filho disse à polícia que entrou no quarto para visitá-la e a encontrou chorando, pois o médico havia operado o joelho esquerdo.

Ainda de acordo com o filho da vítima, o cirurgião assumiu o erro, alegando ter esquecido o relatório do procedimento no consultório, e fez a cirurgia no joelho direito.

O boletim de ocorrência denunciando o caso à polícia foi registrado na noite de sexta-feira (21) e a comerciante teria pago aproximadamente R$ 13.800,00 pelos procedimentos.

O médico deveria realizar uma meniscetomia, que é a cirurgia do menisco para remoção da zona danificada, e uma osteocondroplastia, que é a correção de lesões de cartilagem. O segundo procedimento visa formar canais, por meio de perfuração óssea, para estimular o sangramento para a formação de tecido reparador no local.

Internação

A intervenção cirúrgica deveria ser feita no joelho direito e foi marcada para as 8h30 de sexta-feira. A paciente foi internada e, por volta das 13h, ela recebeu a visita do filho, que relatou tê-la encontrado bastante nervosa e chorando.

Questionada, ela teria mostrado o joelho direito bastante inchado e o esquerdo com um esparadrapo, levando-o a imaginar que o procedimento teria sido feito no joelho errado.

O filho da paciente disse que perguntou à equipe de enfermagem o que havia ocorrido, mais os profissionais teriam sido evasivos.

Esqueceu

Segundo o filho da comerciante, o médico foi chamado de volta ao hospital e teria tentado colocar a culpa na mãe dele, alegando que “mulher muitas vezes não sabe diferenciar o que é direita ou esquerda”, segundo o declarante.

 

Ele teria argumentado que a mãe dele foi para a cirurgia levando uma pasta com os exames e receitas médicas, os quais não teriam sido analisados antes da intervenção cirúrgica.

Diante das justificativas, o médico teria assumido o erro, alegando ter esquecido o relatório do procedimento na paciente no consultório dele.

Entretanto, teria se colocado à disposição para corrigi-lo e, após conversa com a administração do hospital, retornou para fazer a cirurgia no joelho correto.

Intervenção Divina

A filha da comerciante, que também esteve na delegacia, foi quem esteve no hospital após a segunda cirurgia, que teria acabado por volta das 17h. Ao término do procedimento o médico teria argumentado que a cirurgia no joelho esquerdo da mãe dela teria ocorrido “por intervenção divina”.

Ele teria relatado que o joelho da paciente estava bastante crítico e muito provavelmente a paciente poderia até precisar de uma prótese, em virtude de o joelho direito não estar funcionando de forma adequada, sobrecarregando o esquerdo.

Por fim, teria complementado dizendo que o joelho direito, que é o que deveria ter sido operado desde o início, necessitará de algumas aplicações.

Custo

Os filhos da comerciante relataram no boletim de ocorrência ser improvável o médico não querer cobrar pela intervenção feita no joelho esquerdo, “como se o altruísmo tivesse divinamente tomado conta de seu ser naquele exato momento” .

Eles decidiram registrar o boletim de ocorrência para que as responsabilidades sejam apuradas e os envolvidos devidamente investigados.

Durante o pós-cirúrgico a paciente terá que usar proteção e reduzir a carga, fazendo uso de muletas ou imobilizadores para joelho. (Lázaro Jr. – Hoje mais Araçatuba)