Carlim Despachante pede convênio com clínicas de Equoterapia 

78
Foto: Reprodução/Assessoria

O objetivo, segundo o vereador, é atender pessoas com necessidades educativas especiais em Votuporanga/SP.


O vereador Carlim Despachante (PSDB) apresentou na 22ª sessão ordinária desta segunda-feira (20.jun) uma indicação solicitando que o Poder Executivo aprecie o anteprojeto de Lei que, caso votado e aprovado, autoriza a realização de convênio com clínicas especializadas destinados à prática de equoterapia em Votuporanga/SP.

De acordo com o parlamentar, o objetivo é atender pessoas com necessidades educativas especiais, bem como para pessoas com distúrbios evolutivos comportamentais.

Em sua justificativa, o Carlim explica que a equoterapia é um tipo de terapia com cavalos que serve para estimular o desenvolvimento da mente e do corpo, sendo indicado para pessoas que possuem deficiências ou necessidades especiais, como é o caso da Síndrome de Down, paralisia cerebral, esclerose múltipla e autismo, por exemplo.

“Esse tipo de terapia para pessoas com necessidades especiais deve ser feito em um ambiente adequado e especializado, pois, o cavalo deve ser manso, dócil e bem treinado para que o desenvolvimento da pessoa seja estimulado e o tratamento não seja comprometido”, pontuou o vereador.

Durante todas as sessões é importante, além do treinador do cavalo, a presença de um terapeuta, que pode ser um fisioterapeuta especializado, psicomotricista ou fonoaudiólogo, por exemplo, para orientar os exercícios. “Nesse contexto, devido a demanda por esse tipo de terapia em nosso município, especialmente, destinado às pessoas mais carentes, apresentamos a presente propositura no sentido de que o Poder Executivo seja autorizado a celebrar convênio na área da saúde, com clínicas especializadas na execução de serviços de Equoterapia, objetivando atender pessoas com necessidades educativas especiais, bem como para pessoas com distúrbios evolutivos comportamentais”, salientou Carlim Despachante.

O texto segue para avaliação do Poder Executivo que pode enviar de volta ao Legislativo em formato de Projeto de Lei para votação dos vereadores.