Vitória Brasil confirma a 1ª morte por coronavírus

192

Município contabiliza 136 confirmações da doença, sendo 98 pacientes curados.


Vitória Brasil/SP a aproximadamente 70km de Votuporanga/SP confirmou a primeira morte por coronavírus. No entanto, detalhes do paciente que morreu não foram informados pela Secretaria de Saúde. 

De acordo com o boletim epidemiológico divulgado na quarta-feira (24), o município contabiliza 136 confirmações da doença, sendo 98 pacientes curados e uma morte. 

Desde o início da pandemia, 385 casos de suspeita da Covid-19 foram notificados à Vigilância Epidemiológica. Do total, 228 foram descartados. 

Quase um ano sem morte 

Um levantamento realizado no início de fevereiro apontou que Vitória Brasil era um dos 144 municípios do noroeste paulista que não registraram mortes pela Covid-19 após quase um ano de pandemia. 

Na época, o professor da Universidade Estadual Paulista (Unesp) e membro integrante do Centro de Contingenciamento de Coronavírus da Secretaria Estadual de Saúde, Carlos Fortaleza, explicou que o fato do município não registrar óbitos é uma probabilidade estatística. 

“Não é nada mais do que isso. As mortes são uma porcentagem pequena dos casos de Covid-19. Não estou dizendo isso para diminuir a força da Covid-19. Ela é terrível. Mas, por exemplo, a taxa de letalidade geral é abaixo dos 2%”, afirmou. 

“Ela é alta em idosos, mas é abaixo de 2%. Isso significa que em 1 mil pessoas que adoecem, cinco morrem. Por isso, existem chances probabilísticas de que em uma cidade pequena, com poucos habitantes, ninguém morra”, complementou. 

Segundo Carlos Fortaleza, estudos comprovam que a Covid-19 chegou mais tarde em municípios com atividades predominantemente rurais. 

“Isso é um fato e realmente aconteceu. Não quer dizer que as pessoas moram no mato. Se a Covid-19 chegou tardiamente nos municípios, ela teve menos tempo de acometer pessoas e, consequentemente, provocar mortes. É mera probabilidade. A genética das pessoas dessas cidades não é melhor. Portanto, os moradores não podem relaxar”, disse. 

*Com informações g1