Quem não quiser tomar vacina contra à Covid-19 terá que assinar termo de recusa em Votuporanga

2461

Com plano definido, prefeitura pretende imunizar 3.124 profissionais da saúde. O Executivo informou que ainda não tem data de recebimento das 2,2 mil doses, mas que vai começar a imunização assim que receber o medicamento.


A aprovação do uso emergencial da CoronaVac pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), no último domingo (17), trouxe esperança também para Votuporanga/SP que vive um novo pico de casos de Covid-19; município já definiu seu plano de vacinação contra o Coronavírus e aguarda a chegada das doses da vacina para começar a campanha de imunização. 

Nesta segunda-feira (18), o prefeito Jorge Seba (PSDB) afirmou ao Diário de Votuporanga que os preparativos foram iniciados e o que falta são detalhes, além das 2,2 mil doses da vacina que ainda não estão no município; mas salientou que a população votuporanguense deve ser atendida em breve. 

A primeira leva da vacina será oferecida aos profissionais de saúde, além de comunidades indígenas e quilombolas e, em Votuporanga, a Prefeitura pretende imunizar 3.124 profissionais da saúde. 

Os funcionários de hospitais e UBS (Unidades Básicas de Saúde) receberão a vacina nos locais de trabalho. Os demais trabalhadores da saúde devem ir aos postos montados do lado de fora das UBSs para serem vacinados. 

A montagem externa dos postos ocorre para não interferir no atendimento das unidades, informou a prefeitura. 

Contudo, o Executivo informou que ainda não tem data de recebimento, mas que vai começar a imunização assim que receber as doses. 

Na terça-feira (19), em entrevista a uma emissora de rádio local, a Secretária Municipal da Saúde, Ivonete Felix do Nascimento, afirmou que “não existe um documento de obrigatoriedade, nós entendemos que isso é um compromisso enquanto coletividade. Aquela pessoa que recusar a vacina, vai assinar um termo de recusa para que a gente possa tá respaldado, de que foi oferecido a ela e ela se recusou”.  

A gestora ainda explicou que município planeja imunizar votuporanguenses em esquema especial de ‘drive-thru‘, onde a pessoa que for de carro é vacinada sem descer do veículo e ter contato com outras pessoas, com medidas para evitar a aglomeração de pessoas e impedir a proliferação do coronavírus: “todos os pontos serão devidamente registrados e controlados. Inclusive, a grande discussão agora, tornou o registro da vacina nominal”. 

“Quem tiver sua carteira de vacinação é de grande importância que leve para que seja atualizada, mas quem não tiver será vacinado da mesma forma, levando seus documentos pessoais”, pontuou Ivonete. 

Quanto ao termo de recusa à vacina, a Prefeitura se manifestou em nota, afirmando que “é um procedimento padrão já instituído há tempos e previsto para todas as vacinas do calendário. Naturalmente, as equipes que atuam nos serviços de imunização trabalham pelo convencimento e conscientização da população para receber as vacinas. Em caso de recusa, pode ser necessária assinatura deste Termo”. 

Treinamento 

A Secretaria da Saúde também realiza, durante esta semana, treinamento das equipes de voluntários dos cursos de saúde da Unifev que trabalharão nos pontos de vacina. Cerca de 160 voluntários serão treinados.  

Não é hora de relaxar 

Embora a campanha de vacinação esteja prestes a iniciar, a secretária da Saúde alerta toda a população para que mantenha todos os cuidados, mesmo após a chegada da vacina. “Nós estamos em período de guerra, apesar do cansaço e do desgaste, não podemos parar nesse momento. Faço um apelo à população para que tomem os cuidados devidos. Cuidem de seus familiares, usem máscara, não participem de aglomerações”, reforçou Ivonete.