Projeto de cidade da região é indicado para o Prêmio Nobel da Paz

241

A lógica do Walking Together é simples: diminuindo a superpopulação nos grandes centros, há menos violência, desemprego, fome e miséria.


Um projeto que começou em 2010, no município de Catanduva/SP, foi indicado para receber o prêmio Nobel da Paz. A princípio, a ideia era reunir um grupo de amigos e “amigos dos amigos” para criar uma rede de pessoas do bem para discutir sobre criatividade, inovação e trocar conhecimento. 

“O projeto nasceu para conectar empreendedores e deu muito certo desde o início. Várias cidades passaram a integrar e replicar o modelo e muito rapidamente percebemos a força desta união. Começamos então a pensar no potencial das soluções coletivas, como por exemplo, descobrir e desenvolver as vocações das cidades participantes, tornando-as mais atraentes e ampliando as oportunidades, tanto para reter os talentos locais, quanto para atrair investimentos e talentos de grandes centros”, explica Fábio Fernandes, fundador da Walking Together. 

Fabio conta que ao se formar, seguiu para a capital do estado em busca de oportunidades. Já estabelecido e com a carreira consolidada, se estruturou para continuar a trabalhar de Catanduva, onde reside com a esposa e duas filhas. 

“É preciso criar oportunidades nas cidades menores que, muitas vezes, vivem à sombra dos grandes centros. Ao iluminar estes novos núcleos, atraindo talentos e ofertando qualidade de oportunidades e de vida, estamos humildemente promovendo um movimento contributivo para pacificação das megacidades e para o combate ao possível caos urbano, previsto para 2030 no estudo apresentado ao exército americano alertando sobre os perigos da superpopulação”, afirma 

A lógica do Walking Together é simples: diminuindo a superpopulação nos grandes centros, há menos violência, desemprego, fome e miséria. 

“Nosso papel é iluminar as pequenas cidades, tornando-as mais atraentes desenvolvendo suas vocações, gerando oportunidades, qualidade de vida e paz. As cidades do interior passarão a ser uma importante alternativa para o futuro do planeta e para a felicidade das pessoas”, completa Fernandes. 

Até 2022 o projeto, que já tem sua própria rede social “presencial”, deve lançar em breve sua versão digital e uma plataforma de streaming para conhecimento compartilhado, e com estratégia de expansão espera estar em 400 cidades brasileiras conectando 40 mil “walkers“. 

INDICAÇÃO AO PRÊMIO NOBEL DA PAZ 

Atualmente, mais de 70 municípios já se conectaram ao Walking Together, alcançando cerca de 7 mil empreendedores. Um grupo de professores conhecedores do projeto e de seu impacto fizeram o processo de indicação formal para concorrer ao Prêmio Nobel da Paz deste ano. 

“Temos absoluta consciência da quantidade e qualidade dos projetos e personalidades que são indicadas em todo o mundo, mas simplesmente pelo fato de sermos dignos de uma indicação e reconhecidos como um movimento do bem, muito nos honra e nos motiva a seguirmos em frente pois estamos apenas no começo. Esperamos que cada vez mais projetos brasileiros sejam reconhecidos por colocar o impacto social entre suas prioridades, além de resultados financeiros”, finaliza Fábio Fernandes. 

As indicações ao Prêmio Nobel da Paz deste ano ocorreram até o final de janeiro. Entre fevereiro e março, o comitê norueguês realiza uma pré-seleção dos indicados que são escolhidos no final do ano. O resultado é divulgado tradicionalmente em dezembro.