Morta pelo marido com tiro na cabeça pediu medida protetiva quando foi esfaqueada por ele no ano passado

322

Rafael Washington da Silva cometeu suicídio depois de matar Ariane de Aguiar Araújo em Pereira Barreto/SP. Há quatro meses, mulher foi esfaqueada, pediu medida protetiva, mas retirou pedido após reatar relacionamento.


O homem que matou a esposa de 30 anos com um tiro na cabeça e cometeu suicídio na sequência, em Pereira Barreto/SP, já tinha sido detido por esfaquear a vítima nas costas no ano passado, segundo informou a Polícia Civil. O crime foi registrado na sexta-feira (12), no bairro Jardim Aeroporto. 

O delegado Rafael Sangaleto informou em entrevista que a vítima Ariane de Aguiar Araújo chegou a se mudar de cidade quando foi agredida e solicitou medida protetiva contra o marido, Rafael Washington Alves da Silva, de 32 anos. Contudo, voltou com o relacionamento e a medida foi retirada. 

“O Rafael já havia sido preso a uns quatro meses atrás por lesão corporal. Foi uma lesão leve, mas utilizando uma faca. Ela se mudou, mas retornou para a cidade e reatou o relacionamento. A medida protetiva contra o homem foi retirada”, afirmou o delegado. 

De acordo com a Polícia Civil, as duas filhas do casal, de 3 e 5 anos, estavam no imóvel da família quando o crime foi cometido por volta das 3h de sexta-feira. 

De acordo com o delegado, o homem sacou uma pistola e atirou na cabeça da esposa depois de uma discussão. Em seguida, cometeu suicídio. O crime foi presenciado por uma das filhas. 

No dia em que o feminicídio foi cometido, as meninas pediram ajuda para vizinhos depois de ficarem na casa com os corpos dos pais. A Polícia Militar foi acionada e encontrou o casal baleado na sala do imóvel. A Polícia Civil também foi chamada. 

As crianças foram deixadas sob cuidados da avó materna. Os corpos de Rafael e Ariane foram sepultados no Cemitério Municipal de Pereira Barreto.

*Com informações do g1