MEMORIA – Estação Ferroviária de Valentim Gentil

1222

 

(Dados Estações Ferroviárias do Brasil)

  1. F. Araraquara (1949-1971)

FEPASA (1971-1998)

VALENTIM GENTIL – (antiga JACILÂNDIA)

Município de Valentim Gentil, SP

Linha-tronco – km 315,231 (1960) – SP-2953

Altitude: 504 m – Inauguração: 17.12.1949

Data de construção do prédio atual: anos 1950

 

HISTORICO DA LINHA: A Estrada de Ferro de Araraquara (EFA) foi fundada em 1896, tendo sido o primeiro trecho aberto ao tráfego em 1898. Em 1912, já com problemas financeiros, a linha-tronco chegou a São José do Rio Preto. Somente em 1933, depois de ter sido estatizada em 1919, a linha foi prolongada até Mirassol, e em 1941 começou a avançar mais rapidamente, chegando a Presidente Vargas em 1952, seu ponto final à beira do rio Paraná. Em 1955, completou-se a ampliação da bitola do tronco para 1,60m, totalmente pronta no início dos anos 60. Em 1971 a empresa foi englobada pela Fepasa. Trens de passageiros, nos últimos anos somente até São José do Rio Preto, circularam até março de 2001, quando foram suprimidos.

 

A ESTAÇÃO: A estação de Valentim Gentil foi inaugurada como Jacilândia no final de 1949.

 

Em 1950, a EFA transferiu a construção ali existente para a nova estação de Estrela D’Oeste, mais à frente, e construiu um prédio provisório de madeira para Valentim Gentil, já com o nome atual (relatório EFA – 1950).

 

Em 1986, o prédio definitivo, dos anos 1950, já havia sido transformado pela Prefeitura Municipal em estação rodo-ferroviária. Mais tarde, em 2001, já era apenas a rodoviária, depois do fim dos trens de passageiros no trecho em 1997.

“Em Valentim Gentil, a estação é atualmente mais uma lanchonete e ponto de encontro de amigos do que propriamente rodoviária. O guichê da rodoviária ocupa uma pequena saleta (1/4) da estação, uma parte é constituída pelos sanitários (1/4) e a maior parte (2/4) funciona como uma lanchonete que coloca mesinhas e uma mesa de bilhar na plataforma. Na noite do sábado ia ocorrer um bingo, que parece ser frequente. O armazém também ainda existe e é ocupado por dois particulares que dividem o prédio e o utilizam ambos como oficinas de marcenaria” (Edinilson Marques, 15/10/2005).

 

Fábrica de Bebidas Internacional

(Foto Roberto Carlos Ferrari Gallo)

 

Rótulo da Caninha “1941” produzida e engarrafada na década de 60 pela tradicional família Ferrari.  Carlos Ferrari & Irmão mantinham uma propriedade rural lá pelos lados da Subida Morte e outra perto do Campo da Ferroviária, e era de lá é que vinham a cana de açúcar, produto base para produzir a boa cachaça. Na fábrica que ficava na Rua Mato Grosso, esquina com a São Paulo, também se fabricava ainda a deliciosa Sodinha Ferrari.  Em depoimento ao portal Votuporanga Antiga, coletamos as palavras do Sr. Jose Rubens Biork: “Vocês sabiam que Votuporanga teve 3 fábricas de bebidas? Destilaria Daher do Sr.Chafic Jorge Sarquis, que ficava na Rua Santa Catarina em frente a casa do hoje prefeito João Dado; a outra foi a do Sr.Guerino Vivo, que ficava na rua Amazonas e foi consumida por um incêndio; e a outra fábrica de Bebidas Internacional que foi dos Irmãos Ferrari,  Carlos e Belmiro, na rua São Paulo x Mato Grosso”, ensina.

Já o Sr. Evaldo Fogaça também postou algumas lembranças do Sr. Carlos Ferrari: “Ele foi um grande incentivador da AAV. É uma pena que não é muito lembrado por nossos administradores. Ele (Ferrari) ajudou até arrematar (Leilão) o estádio Plínio Marin e doá-lo para o município”, conta.

 

Ellos Super Som

(Votuporanga Antiga- Décio Salvino)

 

Banda Musical de Votuporanga que animou bailes na década de 70 no Assary, Votu Clube e muitos salões da região, formação: Tião (guitarrista), Arildo (tecladista), Décio Salvino (tecladista e dono da banda), Borboleta (percussionista), Rubinho da Eletrônica Pierri (Baterista), Mario (vocalista) Paulão (contra baixo). Com colaboração de Rubens Martins