Martha Rocha, 1ª Miss Brasil, morre em Niterói, no RJ

544
Martha Rocha morreu no sábado (4), em Niterói — Foto: Reprodução

A baiana de olhos azuis, um dos maiores ícones de beleza do país, foi vítima de insuficiência respiratória seguida de infarto, segundo um de seus três filhos. ‘Sinto falta da minha mãe, mas ela descansou’, disse Álvaro Piano.

Primeira Miss Brasil e um dos maiores ícones de beleza do país, a baiana Martha Rocha morreu aos 87 anos no sábado (4), em Niterói, na Região Metropolitana do Rio.

Álvaro Piano, um de seus três filhos, disse que a eterna miss de olhos azuis foi vítima de insuficiência respiratória seguida de infarto. O corpo dela foi enterrado no domingo (5), no Cemitério no Santíssimo Sacramento.

Martha Rocha, 1ª Miss Brasil, em 1954 — Foto: Reprodução/Globo

 

“A vida dela foi muito sofrida nos últimos anos, ela estava acamada há muito tempo e não conseguia andar. Morreu sem muito sofrimento. Ela já estava cansada. Rodeado de pessoas que cuidavam dela. Esses últimos meses a gente só se falava através de contatos telefônicos. Sinto falta da minha mãe, mas ela descansou”, disse Álvaro.

A eterna Miss Brasil, desde 1954

Maria Martha Hacker Rocha foi eleita a primeira Miss Brasil, em junho de 1954, em concurso realizado no Hotel Quitandinha, em Petrópolis, Região Serrana do RJ.

Na época, Martha dizia ter 18 anos, mas o filho confirmou à TV Globo no Fantástico deste domingo,  que, na verdade, ela tinha 21 e queria parecer mais nova.

Martha Rocha com os filhos Carlos e Álvaro que teve com o banqueiro português Álvaro Piano, que morreu em um desastre de avião, com apenas 23 anos de idade.

 

“Fica na memória uma pessoa que, apesar da fama toda, ela era super simples, brincalhona, moleca. Adorava natureza, planta e os animais, amiga de todos. Viveu 12 anos em Volta Redonda perto do meu irmão. Saiu de lá porque a saúde dela começou a se deteriorar. Trouxe ela para Niterói há 6 anos”, contou Álvaro.

Lenda das ‘duas polegadas’

No concurso de Miss Universo, no mesmo ano, ficou em segundo lugar, atrás da norte-americana Miriam Stevenson. Na época, o que se disse foi que ela só perdeu o título por “duas polegadas” na largura do quadril.

A história passou a fazer parte da cultura brasileira, mas o fato é que ela mesmo nunca confirmou.

“Não foi por duas polegadas, não… Mas vamos deixar como se fosse”, disse Martha em uma entrevista. “O brasileiro acha que eu deveria ter tirado primeiro lugar, essa coisa toda, que é de uma amabilidade, de um carinho enorme, comigo sempre. E eu automaticamente dou também muito carinho, né? Você não pode só receber, você tem que dar obviamente, e dou com coração, sempre fiz isso com coração, nunca forçada.”

Outra história que justificaria a perda para americana é a de que, no ano em que Martha Rocha participou, havia uma espécie de “compensação” a ser feita, favorecendo a candidata que representasse os Estados Unidos na ocasião.

“A mamãe contava uma história também que parece que, no concurso no anterior, a miss Estados Unidos tinha sido meio injustiçada. As moças achavam que naquele ano da minha mãe eles iam fazer uma espécie de compensação, né? Então minha mãe conta que se falava isso nos bastidores”, comentou o filho.

Martha Rocha foi Miss Brasil em 1954 e desfilou em cima de carro — Foto: Reprodução/GloboNews

 

Em 1995, teria perdido todo seu dinheiro para o seu ex-cunhado. Em 2019, ela postou em uma rede social: “Em 1995, com a fuga de Jorge Piano com todo o meu dinheiro, superei meus problemas com suporte de meus dois filhos, duas amigas e o meu trabalho honrado, vendendo os quadros pintados por mim, e ganhando cachê para divulgar o concurso Miss Brasil.”

Também pelas redes sociais, Martha disse que, por questões financeiras, estava vivendo num lar de idosos em Volta Redonda, no Sul Fluminense, e passou a se dedicar à pintura.

Martha Rocha foi capa de revistas ao ser eleita Miss Brasil — Foto: Reprodução/GloboNews

Xexéo sobre o concurso: ‘Foi um acontecimento’

Em entrevista à GloboNews, Artur Xexéo comentou que, tecnicamente, Martha não foi a primeira Miss Brasil, já que, em 1930, quando o concurso foi inventado, teve uma miss Brasil, Yolanda Pereira. Entretanto, Xexéo explica que a vitória de Martha acabou sendo mais representativa pelo momento em que o país vivia.

“O Brasil estava um pouco deprimido, teve toda uma questão política daquele ano, a morte do Getúlio Vargas. E, de repente, a gente ganha um concurso internacional, e tinha uma mulher linda representando o Brasil para o mundo inteiro. Então foi um acontecimento mesmo”, contou ele.

O jornalista conta ainda que a vida de Martha começou a ser acompanhada, que passou a ser tratada como uma celebridade.

“Quando ela casou, quando separou, quando ela aparecia numa festa, todas as atenções se voltavam para ela e era notícia no dia seguinte.”

Repercussão no ‘mundo miss’

A morte também causou comoção no “mundo miss”, do qual outras vencedoras do concurso também fazem parte. Entre elas, Vera Fischer, a Miss Brasil 1969:

“Ela é a miss, a grande miss, icônica, do Brasil”, disse Vera. “Também era uma mulher intelectualmente muito rica, muito criativa, ela pintava quadros, era uma mulher muito, muito interessante, com uma grande personalidade. Acho que todos nós vamos lamentar a perda dessa mulher incrível, lindíssima e que vai permanecer para sempre.”

Miss Brasil 1986, Deise Nunes lamentou a perda da colega de passarela em entrevista à GloboNews: “Uma grande referência para todas as misses. Hoje, com certeza, o “mundo miss”, que é um mundo gigantesco de pessoas que gostam dos concursos de beleza e que têm uma simpatia enorme por Martha Rocha, hoje todo mundo se sente um pouco órfão, enlutado, com a perda dessa grande mulher”, declarou Deise. (G1)