Hoje é comemorado o Dia Internacional das Pessoas com Deficiência: luta contínua por inclusão

511
Parte dos atendidos na APAE de Votuporanga
Ivany Aparecida Estrela Domingues – Diretora da Apae de Votuporanga

 

 

“A inclusão acontece quando, se aprende as diferenças e não as igualdades” (Paulo Freire)

(Andrea Anciaes)

Hoje, dia 3 de dezembro é celebrado o Dia Internacional da Pessoa com Deficiência. A data é promovida desde 1992 pela Organização das Nações Unidas (ONU), marcando o final da Década das Pessoas com Deficiência (1983-1992) estabelecida pela Organização.

Essa iniciativa tem como objetivo a conscientização da sociedade para a igualdade de oportunidades a todos os cidadãos, promover os direitos humanos, esclarecer à população sobre assuntos de deficiência, celebrar as conquistas da pessoa com deficiência e pensar a inclusão desse segmento na sociedade, para que ele influencie os programas e políticas que o afetem.

Aqui no país, os deficientes representam em torno de (24%) da população. De acordo com o Censo, 45,6 milhões de pessoas tem alguma deficiência. A visual é a mais recorrente, seguida pelas deficiências auditivas, motoras e intelectuais.

Além do alerta, a data tem o intuito de provocar a reflexão de como garantir uma boa qualidade de vida e dignidade para essa parcela da população. As pessoas com deficiência precisam saber seus direitos para desenvolver um papel ativo e participante na própria comunidade.

No Brasil nos últimos anos foram obtidos grandes avanços na inclusão de pessoas com deficiência, porém ainda caminha num ritmo lento e, por isso, é tão importante conscientizar as pessoas, com deficiência ou não, pois todos fazemos parte da mesma sociedade.

Aqui no município o vereador Chandelly tem um trabalho importante que garante direitos assegurados por lei para portadores de TEA (Transtorno do Espectro Autista). Ele garantiu o atendimento prioritário para esse público no município de Votuporanga.

Para os próximos quatro anos ele informou que irá cobrar do prefeito eleito Jorge Seba pelos direitos dos autistas na rede pública de ensino. “Irei acionar o ministério público se estes direitos não forem cumpridos” disse o vereador.

Outro projeto importante será a instalação de um Centro Especializado em Autismo, considerando que o local irá assegurar um novo modelo para atendimento integrado e multidisciplinar aos autistas de Votuporanga e região. O local necessitará de salas de atendimentos nas áreas de: psicologia, terapia ocupacional, fonoaudiologia e neurologia, consultórios para atendimento individual e em grupo, sala de reunião, recepção e banheiros.

O vereador ressaltou a importância desse projeto dizendo que a implantação desse serviço especializado atenderá uma grande demanda apresentada por familiares e entidades que trabalham com pessoas que vivem com autismo e que encontram dificuldades no acompanhamento, com isso os avanços nos direitos do autismo, pode se tornar uma marca de cidadania e humanidade para a nossa cidade.

Aqui no município a Apae Atende 163 alunos com Deficiência Intelectual, Múltipla e Transtorno do Espectro Autista – TEA, com atuação nas áreas de educação, assistência social e saúde, além de promover serviços de prevenção, defesa e garantia de direitos, esporte, cultura, lazer, entre outras atividades e projetos de educação e inclusão. Devido às restrições causadas pela pandemia do novo coronavírus, tivemos alteração na forma de execução do atendimento, que passaram a ser remotos com a utilização dos meios digitais para garantir a continuidade dos trabalhos, informou Ivani que é diretora da Apae em Votuporanga.

Ivany Aparecida Estrela Domingues – Diretora da Apae de Votuporanga – disse ao Diário de Votuporanga. “Como profissional na área da pessoa com deficiência há 20 anos e atualmente como diretora da APAE de Votuporanga, quero homenagear todos aqueles que possuem algum tipo de deficiência. Agradeço a oportunidade de ter vivido e trabalhado grande parte da minha vida com pessoas tão especiais que contribuíram na formação do meu caráter, tornando-me uma profissional realizada. Além disso, neste ano atípico, parabenizo todos os alunos, atendidos, familiares e profissionais pela dedicação e comprometimento nas realizações de todas as atividades acadêmicas, sócioassistências, saúde, lazer, cultura e esporte de forma remota. Apesar de tudo que se passou e estamos passando, devemos reconhecer que todos nós adquirimos algum aprendizado, como dar valor às pessoas que nos fazem bem e enfrentar todos os desafios nem sempre com um sorriso no rosto, mas de cabeça erguida e cheio de esperanças. Por fim, penso que a pior deficiência que um ser humano pode ter não é a física ou intelectual, mas sim a deficiência de caráter, alma e amor ao próximo, mesmo que seja diferente de nós. Deixo aqui o meu abraço e a esperança que em breve estaremos juntos novamente”.

Dia Internacional da Pessoa com Deficiência – Dia de ampliar a inclusão!