GASTRONOMIA – Agora, mais ainda, dinheiro tem que ser consequência e não objetivo!

359

Por Juarez Duarte Paes Jr. –

Já escrevi pelo menos uns dez artigos sobre este tema, porém, é sempre bom avivar a respeito dos riscos de insucesso que correm aqueles que não percebem a importância de encarar o seu objetivo como consequência.

Estamos vivendo um  momento de alta nos preços de todos os insumos vitais para que a economia cresça, o alto valor das commdities cotadas em dólar e mais diretamente os aumentos constantes dos valores do combustível, que incidem diretamente no custo dos transportes e seus respectivos cálculos dos fretes.

O que leva a uma reflexão sobre ser imediatista em tempos de recuperação, quando tudo corre de forma mais lenta e necessitando de tantos ajustes, e principalmente de tempo, muito tempo para que tudo se reacomode, incluindo novas práticas que vieram para ficar.

Explanei tudo isso para não parecer que sou insistente por ser neste quesito com os empresários de Alimentos e Bebidas, mesmo porque, faço o que gosto, e consequentemente, com todo o prazer do mundo, por isso, sei que ando até me tornando repetitivo com relação ao tema, mas, não consigo ver tanto potencial desperdiçado, como o de algumas cidades desse quadrante do mapa do estado de São Paulo.

Hoje vou me referir especificamente aos eventos promovidos nessas cidades, como as feiras agropecuárias, rodeios, exposições e até um festival gastronômico.

Claro que vou me referir somente à exploração gastronômica, a que realmente sempre deixa a desejar, pois, todos esses eventos têm uma coisa em comum, o objetivo, que é ganhar dinheiro, e, é aí que começa a minha diferença com o empresário, o capitalista selvagem, que com toda a certeza diria sem titubear: – “Não existe negócio que não vise ganhar dinheiro”, no que até concordo, mas, não como objetivo e sim como consequência de um trabalho bem feito.

Imaginem o médico antes de examiná-los pensando em quanto vai lhe cobrar pela cirurgia, ou o empresário que abre um restaurante e já estipula a sua cota de vendas diárias e a margem de lucro mensal, antes mesmo de contratar os cozinheiros e garçons; agora, vocês sabedores disso, confiariam na qualidade dos serviços prestados por esses profissionais?

O bom médico, assim como, o estabelecimento que apresenta os melhores serviços, com certeza, vão angariar cada vez mais clientes, e isso vai se espalhar, suas agendas e lugares estarão sempre cheios, e, consequentemente, muito dinheiro vai entrar, e, melhor ainda, com a consagração de forma duradoura, mas, para isso é preciso investir em qualidade e “know how”, ter o “feeling” exato, para não economizar onde é fundamental e gastar onde não precisa, de querer lucros imediatos.

Não vou citar nomes, nem localidades, mas, com raras exceções, dentro dos parques de exposições, feiras, rodeios, além de um festival de gastronomia completamente equivocado, 90% do potencial gastronômico desses eventos foi desperdiçado por pura falta de um planejamento feito por profissionais do ramo, mas, me refiro a gente do ramo mesmo, não de entendidos, curiosos e “Papais sabe tudo”, e nisso, os que saem ganhando algum dinheiro, não sabem o quanto deixaram de ganhar e os que tiveram prejuízo, não imaginam quanto poderiam ter lucrado, se tivessem sido corretamente orientados.

BOLINHOS DE ARROZ COM COALHO E CARNE SECA:

Você vai precisar de: -2 ovos; -2 colheres de sopa de cebolinha; – ¼ de xícara de leite; -1 pitada de açúcar; -200 g de queijo coalho ralado; -2 xícaras de chá de arroz cozido; -2 colheres de sopa de farinha de trigo; -1 colher de chá de fermento em pó; -3 colheres de sopa de bacon em cubinhos; 1 xícara de carne seca dessalgada e desfiada; sal e p. reino qb; -óleo de milho para fritar.

 

Preparo: Bata os ovos, com cheiro-verde, o leite e o açúcar no liquidificador até obter uma mistura homogênea, misture o queijo coalho com uma colher. Então, aos poucos junte o arroz e bata mais um pouco. Feito isso, despeje a mistura obtida em um recipiente e junte a farinha de trigo, o fermento e o bacon, mexendo sempre até obter uma massa, em seguida modele os bolinhos e recheie-os com carne seca, frite-os em óleo de milho quente.