Fake News pede para população se automedicar em caso de Dengue

437

É falsa a informação que está circulando nas redes sociais sobre os atendimentos de uma UPA-24 horas (Unidade de Pronto-Atendimento) e sobre a indicação para automedicação nos casos suspeitos de dengue. Os áudios não se referem aos profissionais de Saúde do Município, tampouco, do Pronto-Atendimento de Votuporanga.

Ao contrário da orientação fornecida pelos áudios, A Prefeitura de Votuporanga e Santa Casa alertam para que em suspeita de dengue a população não se automedique. A automedicação, nestes casos, pode agravar os sintomas da doença. Na suspeita, a população deve procurar imediatamente os Pronto-Atendimentos do Município (UPA – 24 horas, Mini-hospital da Zona Norte “Fortunata Germano Pozzobon” e Ambulatório de Referência para Atendimento da Dengue, estruturado junto Unidade de Saúde “Dr. Jonas Pires Corrêa”, no Pozzobon).

O Ambulatório de Referência para Atendimento dos Casos de Dengue, que tem a finalidade de atender a grande demanda de pacientes gerada pela epidemia da doença no Município. O serviço conta com o acolhimento dos pacientes, atendimento médico, hidratação e a coleta de exames.  Em Votuporanga, até o momento, foram registrados 817 casos da doença.

Os atendimentos no local são oferecidos inclusive aos finais de semana e feriados. De segunda a sexta-feira, das 6h30 às 20h30, e aos sábados, domingos e feriados, das 7h às 19h. Lembrando que o Ambulatório é referência para a Zona Norte da cidade, e os casos suspeitos de dengue serão encaminhados pela própria Unidade de Saúde do paciente. Vale lembrar que o Consultório Municipal “Dr. Gumercindo Hernandes Morales”, no bairro São João está funcionando de segunda a sexta-feira, das 17h às 22h.

Os casos graves da doença continuam a ser atendidos na UPA – 24 horas e Mini-Hospital “Fortunata Germana Pozzobon”, na Zona Norte.

O Ambulatório de Atendimento para a Dengue está localizado à Rua Antônio Serafim Queiroz nº 2395 – Bairro: Pozzobon.

Ações

Durante a Audiência Pública sobre a Dengue, a diretora regional da Sucen (Superintendência de Controle de Endemias) de Rio Preto, Sirle Salloum Scandar, ratificou o desabastecimento do inseticida fornecido pelo Ministério da Saúde. “O Ministério da Saúde comunicou ao Estado, e o Estado comunicou aos Municípios em maio de 2019 sobre o desabastecimento com relação ao inseticida”.

Entretanto, as últimas informações do Ministério da Saúde indicam o envio do inseticida de combate ao Aedes Aegypti para os Estados nas próximas semanas.

Segundo a especialista, as ações de prevenção são o principal meio de controle ao vetor, e advertiu quanto ao uso do inseticida. “O trabalho de base é o que tem de ser feito. É a eliminação de criadouros, é a conscientização da população, capacitar o próprio morador a vistoriar o seu imóvel, e eliminando qualquer recipiente que possa acumular água. Portanto, como último recurso é o controle químico, é a aplicação de inseticida”.

Importante ressaltar que o Poder Público Municipal, por meio de todas as Secretarias Municipais têm empenhado esforços para que a epidemia de dengue reduza os seus efeitos prejudiciais à saúde da população.