Estafa psicológica x pandemia

215

 

Estresse procure entender a importância de se conscientizar sobre a problema

 

Por Andrea Anciaes

Vivemos a pandemia do novo coronavírus (Covid-19) hoje a maior emergência de saúde pública que enfrentamos. Além das preocupações quanto à saúde física, traz também preocupações quanto ao sofrimento psicológico que pode ser experienciado pela população geral.

Apesar de o isolamento social ser uma medida empregada para a preservação da saúde física do indivíduo, é fundamental pensar também na saúde mental e bem-estar das pessoas submetidas a esse período longo de isolamento.

Independente de entidades e instituições de saúde e governamentais defenderem o confinamento durante o período de crise, não é incomum que a obrigatoriedade do ato seja catalisadora de diversas sensações nas pessoas, como angústia, ansiedade e também pânico, à medida que incertezas e notícias falsas sobre a doença ainda sejam difundidas.

Vale ressaltar que as sequelas de uma pandemia são maiores do que o número de mortes. Os sistemas de saúde dos países entram em colapso, os profissionais de saúde ficam exaustos com as longas horas de trabalho e, além disso, o método de controle mais efetivo da doença, que é o distanciamento social, tem impactado consideravelmente a saúde mental da população.

Estresse e ansiedade são inimigas do seu sistema imunológico e podem abaixar os seus mecanismos de defesa nesse momento em que você mais precisa deles. Por isso, é preciso adaptar-se à nova situação e desenvolver uma rotina de cuidados com o corpo, a mente e o espírito, afinal eles são os pilares do ser!

O estresse pandêmico é mais intenso do que outras manifestações ansiosas geradas por situações do dia a dia. Como não há previsão para que as coisas voltem a ser como eram de costume, esse tipo específico de resposta física acaba sendo mais avassalador.

A mudança de foco, ajuda a encarar o momento não como um destino, mas como uma jornada momentânea. Esse comportamento pode levar à percepções e comportamentos diferentes, ajudando muito a trabalhar com situações de estresse.

Manter a relação com pessoas, seja familiares ou amigos, é muito importante. Através dessa sintonia pode surgir a motivação para seguir em frente. O compartilhamento de incentivos também ajuda a sustentar os objetivos e conquistar o sucesso nesse período novo e difícil na vida de todos nós.

Através dessa matéria a palavra que deixo aqui é ESPERANÇA! Quem vive sob a constante do medo, da ansiedade e das reações no corpo que isso causa se sente muitas vezes cansado e sem esperanças. A ideia de que isso possa melhorar é muito distante. Mas não deixe o cansaço vencer…não se deixe abalar pelo desânimo e por pensamentos negativos. Positividade nesse momento é tudo!

Você não precisa lidar com o medo ou com qualquer coisa sozinho e existe uma infinidade de profissionais que podem lhe ajudar.

Não vencemos muitas vezes o medo sozinhos. É preciso estar de mãos dadas com quem está capacitado para nos ajudar. E quem sabe enfrentar o maior dos nossos medos: expor nossa vulnerabilidade!

Essa pandemia vai nos deixar muitos ensinamentos e, talvez, o maior deles é sem dúvida que todos dependemos uns dos outros de alguma forma. Se você adquirir medos da pandemia que venham lhe visitar com certa frequência, não tenha dúvidas procure por ajuda seja ela qual for. O medo morre de medo da esperança e essa sempre “renasce” quando os problemas são compartilhados e enfrentados de mãos dadas!

Fique atento ao perceber: ansiedade excessiva; mau humor e variação de ânimo; cansaço contínuo; dores de cabeça constantes; tristeza e angústia frequente; insônia e agitação; desmotivação; baixa autoestima; baixa produtividade; não conseguir lidar com alguma situação difícil no trabalho; falha na memória.

Esses são apenas exemplos da possibilidade de o estresse emocional afetar a sua vida sem que você esteja consciente da gravidade.