Educação Física e o Autista

489

Por Erica Cristina Cerantola da Escola Manoel Lobo

O comprometimento do professor de Educação Física de qualquer âmbito educacional deve ser grande. Deve ter um nível de atenção na elaboração de suas estratégias bem próximo da realidade do seu aluno para trabalhar com as dificuldades, interação social e autonomia. Se tratando de Autista o professor deve fazer uma abordagem individual para cada aluno e incluí-lo ao mesmo tempo em suas aulas nas escolas regulares.

A Educação Física Inclusiva tem por objetivo promover a inclusão de todos os alunos com necessidades especiais, em especial o autista, visando as adaptações e adequações curriculares disciplinares, bem como nas aulas teóricas como nas aulas práticas.

A Educação Física escolar exerce uma importante função, contribuindo nos aspectos relacionados à formação geral da pessoa, tais como, desenvolvimento motor, afetivo, social e cognitivo, visando também o hábito da prática das atividades físicas como sendo fundamentais para uma vida saudável. As atividades, por muitas vezes são realizadas na modalidade de jogos e brincadeiras, de forma lúdica, o que desperta o prazer da criança para sua prática (FELLIPE; JUDITH, 2010).

Desta forma, é indispensável que o professor tenha um conhecimento mais aprofundado sobre a deficiência do aluno com o qual ele irá trabalhar em sala de aula, pois o sucesso do desenvolvimento da pessoa com Autismo dependerá muito dos conhecimento do mesmo (SILVA,2013).

A Educação Física escolar é uma disciplina que faz parte do currículo básico, como as demais, devendo ser composta por um conteúdo programático, organizado, estruturado, e que instrua os alunos para as atividades, promovendo seu desenvolvimento harmonioso. Porém, a participação de todos os alunos, sem exceção, é fundamental para o bom desempenho da aula, para que ela possa contribuir com o seu desenvolvimento afetivo, psicomotor e cognitivo (SILVA, 2013).

Segundo Tomé (2007) o dever do professor de educação física no ensino do aluno autista consiste em insistência e paciência para a elaboração de um plano de aula estruturada a fim de atender o aluno de forma correta, estabelecer um vínculo positivo, trabalhar no desenvolvimento da independência e preservar a rotina de atividades, tendo maior cuidado com aquelas que tenham regras, jogos imaginários e gincanas, que podem ocasionar insatisfação, incômodo e falta de interesse desses alunos pelas aulas de educação física.

Uma estratégia muito importante para trabalhar com os Autistas são os Jogos/Brincadeira, eles contemplam todas as fases do desenvolvimento humano, relacionamento entre pessoas e são fontes de desenvolvimentos e aprendizagens uma vez que em crianças autista os grandes prejuízos estão relacionados à sua interação social.

Ações específicas dos jogos são: estimulam o raciocínio, desenvolvem habilidades, estimulam a construção de novos conhecimentos, ensinam a lidar com os resultados, desafiam a produção de soluções para a situação problema.

Os jogos com técnica educativa:

Torna a aprendizagem significativa e dinâmica

Tem como objetivo ensinar divertindo e interagindo com o outro

O jogo como educativo:

Tem função pedagógica

Contemplar o estágio do desenvolvimento

Comtempla o interesse do aluno

Dê prazer ao realizar a atividade

Engajar o professor e aluno na mesma atmosfera lúdica

A experimentação/descoberta/criatividade são aspectos que devem ser respeitados

Alguns marcos fundamentais são necessários para um bom desenvolvimento:

Busca: intenção e proposito

Representação Mental: imagem / conceito

Constância perspectiva e objetivos permanentes: tempo/ espaço

Relação Tri-bidimensional: volume / tempo

Exemplos de atividades para crianças de 02 a 04 anos

Bola ao cesto

Pega – pega

Boliche

Esconde- esconde

Amarelinha

Túnel

Montagens

Encaixes

OBJETIVANDO:

Consciência corporal

Vínculo afetivo

Intencionalidade de ação

Compartilhamento

Funcionalidade manual

Compreensão de instrução

Início de compreensão de regras

Obs: com o tempo podem ser inseridos jogos que trabalhem mais especificamente as operações mentais como: comparação, classificação, seriação, associação, discriminação

Criativos: formas, cores, opostos

Memória: bingo, jogo da memória

 

PARA OS MAIORES

Exploração ampla da capacidade visual para o desenvolvimento do raciocínio. Ex:

Jogos com desafios gradativos

Jogos que exigem poder de decisão que envolvam escolhas

Jogos que envolvam escolhas

Análise/síntese: Tangran

Monte uma face (são dadas as figuras)

Raciocínio Lógico: Cara- cara

Batalha – naval

Sudoku

Jogo- da -velha

Rapidez: Molecoton

Lince- cartas

Blinks

Desenvolvimento de linguagem: Story cubes

História -sem- fim

Raciocínio matemático: Pass de pigs

Vira- letras

Boogle Slam

Montagens: importante ir mudando o grau de dificuldade

Importantes adaptações a serem feitas:

Pistas visuais: palavras/ diagramas

Tabuleiros com locais marcados

Placares

Ábaco : Para contagem de pontos

Setas e marcadores coloridos

Noções explícitas de turnos: eu/você

Espere/jogue

Citações do material da Drª. Lília Maíse de Jorge; Jogos e Atividades para Alunos Autistas