Assistência Social lança campanha de combate ao abuso sexual de crianças

426

 Com o isolamento social, muitas crianças e adolescentes ficam vulneráveis a estes tipos de crimes; CREAS fará ações internas que visam conscientizar os atendidos.

O dia 18 de maio é o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes e tem como objetivo alertar a sociedade a denunciar. Devido ao período de quarentena, crianças e adolescentes podem estar mais vulneráveis ao abuso e exploração sexual. Isto porque estatísticas comprovam que, na maioria das vezes, quem comete o abuso pode estar no meio intrafamiliar e, como todos estão em casa, é necessária ainda mais atenção para sinais e alertas.

Segundo o secretário de Assistência Social, Thiago Augusto Francisco, é importante observar os comportamentos das crianças. “O período que a sociedade vive faz com que as vítimas do abuso sexual não tenham como denunciar, uma vez que não podem sair de casa, conversar com uma professora ou alguém de sua confiança. E os abusos continuam. É importante os pais observem o comportamento dos filhos, conversem e façam perguntas. Estejam atentos, porque na maioria das vezes, quem comete o abuso é um avô, um tio, um vizinho, ou seja, o agressor pode estar no meio intrafamiliar. É importante que a vítima saiba que não está só”.

Em Votuporanga, o CREAS (Centro de Referência Especializado de Assistência Social) é a unidade que faz o acompanhamento para a superação da violência sofrida. O órgão pertence à rede mantida pela Secretaria de Assistência Social da Prefeitura de Votuporanga.

Para reforçar a importância social da data, o CREAS fará um amplo trabalho de conscientização com o público já atendido na própria unidade. “Este ano, devido ao momento de pandemia, não podemos fazer as ações que sempre nos programávamos como, por exemplo, panfletagens pelo comércio. Nosso foco principal é conscientizar as pessoas que frequentam o CREAS, seja para atendimento ou para buscar alguma informação”, explicou Thiago.

Atendimentos

Em 2019, foram atendidos 72 casos de abuso sexual e 4 de exploração sexual. Até abril deste ano, foram registrados cinco novos casos de abuso sexual infantil. No momento, o CREAS também acompanha 55 ocorrências registradas desde 2019. A maioria é na faixa etária de 0 a 11 anos, e do sexo feminino.

“Existem casos novos sendo atendidos e outros que estão em acompanhamento desde o ano passado porque carece de uma atenção especial”, destacou Daniela Ribeiro dos Santos, coordenadora do CREAS.

A maioria dos casos que chega até a Unidade são da Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) e do Conselho Tutelar. “Outros são demandas das Secretarias da Saúde e de Direitos Humanos, dos CRAS, Promotoria de Justiça, escolas e também as demandas espontâneas”, explicou a coordenadora.

O CREAS acolhe a vítima e seus familiares, realizando atendimentos individuais e em grupos, além de fazer os devidos encaminhamentos necessários para o bem-estar e desenvolvimento dos envolvidos. “Damos todo o suporte para contribuirmos no acompanhamento integral da família e fazemos contato com a rede para ver o que mais pode ser feito para ajudar”, disse Daniela.

Denúncias

As denúncias podem ser feitas pelo Disque 100, além do Conselho Tutelar, que atende pelo 3422-2288, delegacias e, em casos de flagrantes, a Polícia Militar deve ser acionada pelo 190.