Amigos se encontram no livro “Lendas de Votuporanga”

615

Capa

O livro trata basicamente um pouco desta memória com muitas fotos e lembranças. O Frei Arnaldo é um dos homenageados

 

Amigos que viveram intensamente Votuporanga durante a infância e a juventude, a partir dos anos 1950, e que tinham como grande paixão o futebol, resolveram formar um grupo de WhatsApp denominado “Lendas de Votuporanga”. O nome surgiu de uma maneira carinhosa de se tratarem, mesmo porque muitos se destacaram nas equipes amadoras de futebol. Outros jogaram na AA Votuporanguense e equipes profissionais de outras cidades.

A partir de trocas de lembranças de uma época de ouro, surgiu a ideia de imortalizar todo este carinho em um livro. Foi assim que 66 participantes do grupo se reuniram e cada um, em uma página, registrou suas memórias em “Lendas de Votuporanga – um Memorial da Cidade das Brisas Suaves”, que sai com o selo da Editora Ponto Z, do jornalista e escritor Edmilson Zanetti, de Rio Preto.

O livro trata basicamente um pouco desta memória com muitas fotos e lembranças. O futebol é o destaque.

Organizada pelo também jornalista e escritor José Carlos Pontes, a obra presta homenagens a ídolos comuns da infância desses personagens, como frei Arnaldo, eleito unanimemente protetor do grupo. Há ainda reverência ao gigante da bola da Alvinegra, Fifi, um dos maiores craques que pisaram no gramado do Estádio Municipal Plínio Marin. Fotos com suas respectivas escalações dão um panorama do que foi a AAV nos anos 1960 e 1970, especialmente. E, claro, há uma breve história de Votuporanga, com fotos dos primórdios.

Para que o livro tivesse peso especial, o artista plástico Natanael Longo de Oliveira, que viveu boa parte de sua vida na cidade, foi responsável pela capa. Vale lembrar que, durante muitos anos, ele fez capas para livros da Editora Abril. Um presente. Paulo César Rapassi e Ravel Gimenes foram os responsáveis pelos prefácios.

São 112 páginas de uma viagem pela história de Votuporanga contada por personagens que de uma maneira ou de outra ajudaram a construir a cidade das brisas suaves. É o registro de uma parte de Votuporanga por uma ótica diferente dos livros de história da cidade até agora editados.

Por causa da pandemia, não será possível lançamento presencial. Mas ficou acertado que neste sábado, 6 de fevereiro, serão entregues exemplares aos participantes, sem riscos de transmissão da covid-19. O ato será no Parque da Cultura, a partir das 10h.

Haverá doação de exemplares para instituições de educação que tenham bibliotecas ou salas de leitura, como escolas estaduais, Unifev, IFSP, Museu Rapassi e outras.

Livro “Lendas de Votuporanga”
Editora Ponto Z (São José do Rio Preto)
112 páginas
Organizador: José Carlos Pontes