A importância de cuidar do veículo em momentos de pouco uso

208

Higienização e atenção com diversos itens precisam ser observados para que não ocorram problemas e prejuízos futuros.

Ele nos leva para o trabalho, carrega as compras, viaja por horas com a família e quebra tantos galhos quando mais precisamos. Não é agora que ele vai ser esquecido. Em tempos de isolamento social, dá aquela saudade do parceiro que faz parte da nossa rotina. Mas, mesmo que o usemos bem pouco agora, o carro segue precisando ser mantido bem cuidado. Por isso, os motoristas precisam ficar atentos para evitar qualquer defeito no futuro decorrente da falta de uso. “Os cuidados preventivos são fundamentais para que o carro possa ser usado com tranquilidade quando for importante sair de casa”, diz Jaime Soares, diretor do Porto Seguro Auto.

Nesse mês, o Porto Seguro Auto vem fazendo lives com orientações em formato de dicas (próximas lives serão Pilotagem – dia 12 de maio, com Carlos Amaral, instrutor de pilotagem de motos – e Direção – 25 de maio, com Roberto Manzini, ex-piloto e proprietário do Centro de Pilotagem Roberto Manzini). Na última, realizada no Facebook, YouTube e Instagram da Porto Seguro, Roseli Oliveira, mecânica e proprietária da oficina Hay Flex, deu importantes conselhos de como preparar o carro durante esse período de paralisação do veículo.

Higienização
Os automóveis são ambientes fechados. Em tempos desafiadores como o que vivemos, é essencial que o carro seja higienizado toda semana. Para isso, basta utilizar um pano úmido com água e sabão em todas as superfícies em que o motorista coloca as mãos, como painel, volante, alavanca de câmbio, porta-luvas. Para os bancos, a dica é preparar uma mistura que não faça espuma. Quem tiver aspirador também pode fazer uma limpeza geral toda semana para tirar resíduos de pó e restos de alimento. O lixo também deve ser retirado diariamente e os tapetes batidos todos os dias e lavados com água e sabão. São cuidados básicos que deixam o carro seguro caso seja necessário usá-lo em uma emergência.

Dano às peças
Um carro não foi feito para ficar parado. Portanto, se ele não está funcionando regularmente, suas peças começam a sofrer alguns degastes e correm sérios riscos de darem problema quando você for ligar o automóvel novamente. Lembre-se de ligar um pouco o carro — como forma de manutenção — nem que seja uma vez por semana, para que o motor esquente e a lubrificação ocorra nos sistemas internos. Se for possível, o melhor é rodar com o automóvel, nem que seja por uns 20 minutos a cada semana ou quinzena.

Ressecamento dos limpadores do para-brisa
Um erro bastante comum é esquecer os limpadores do para-brisa. Quando a borracha fica parada por muito tempo, ela começa a derreter e a grudar. Por isso, é recomendável retirar os limpadores e guardá-los ou apenas deixá-los afastados do vidro, se o carro estiver localizado em um lugar seguro.

Cuidado com a bateria
Para que ela não fique fraca, é melhor desconectá-la e desligá-la para que não haja consumo de energia elétrica enquanto o carro está parado na garagem. Contudo, se o veículo não fica em um local seguro, é melhor manter o sistema elétrico funcionando, com rastreador e alarme ligados.

Não ligar o ar-condicionado na partida do carro
É fundamental não ligar o ar-condicionado na partida do carro, especialmente nos primeiros minutos, porque isso faz com que a temperatura do motor demore mais tempo para ser atingida, além de sobrecarregar a bateria na hora de dar a partida. O ar-condicionado deve ser ligado apenas quando o motor atingir a temperatura de trabalho, possibilitando a lubrificação do compressor, embreagem do compressor, mangueiras e tubulações.

Verificação dos pneus
Se você pensa que o pneu vai continuar conservado pelo fato de não estar rodando, saiba que isso é um engano. Ele vai murchar com o tempo e, devido ao peso do automóvel, começará a deformar sua cinta de metal interna. Os pneus vão deformar se ficarem parados, prejudicando o balanceamento do carro. A dica é aumentar sua calibragem em cerca de 20 a 30% do normal. Assim, vai demorar um pouco mais para que a pressão diminua, retardando a deformação do material na parte que fica em contato com o piso.

Atenção ao óleo lubrificante e ao combustível
A principal peça que sofre com o carro na garagem é o motor, uma vez que o óleo parado não pode manter as partes internas da máquina lubrificadas. Geralmente, ele decanta e fica com um aspecto coalhado, perdendo completamente sua função. Logo, quando o veículo for ligado outra vez, as demais peças vão se desgastar com facilidade, incluindo o próprio motor. O óleo tem vida útil e deve ser trocado com regularidade, mesmo se o carro estiver inoperante por um tempo.Em relação ao combustível, as preocupações são menores, uma vez que as opções disponíveis atualmente no mercado suportam de dois a três meses no tanque sem prejudicar o sistema de injeção ou ignição quando o motorista dá a partida.

Colocando o carro na rua
Após seguir essas dicas, quando chegar a hora de rodar novamente com o carro, basta lavar o veículo mais uma vez, calibrar os pneus, abastecê-lo com combustível novo e verificar o nível de óleo e outros fluidos.